Vereadores trabalharam 87 horas em 2013

Este tempo de trabalho contado com base no Regimento Interno tem custo de quase R$ 485 por hora

A Mesa da Câmara de Olímpia publicou o relatório das atividades legislativas do exercício de 2013 na edição de sábado passado, 18 de janeiro, da Imprensa Oficial do Município-IOM. O relatório é revelador do custo da bancada de vereadores para cada um dos cidadãos olimpienses.

 

Ou seja, cada um dos 50.602 cidadãos olimpienses, e aí incluídas até as criancinhas de colo, paga, por mês, para manter os 10 vereadores na ativa, pouco mais de R$ 77. A folha mensal de pagamento da Casa de Leis aos vereadores remonta a R$ 39.267 por mês. Cada vereador recebe, brutos, R$ 4.363.

 

Conforme mostra o relatório, foram realizadas no ano passado, 29 sessões ordinárias, de três horas cada, pelo menos conforme consta do Regimento Interno da Câmara. Mas, a praxe do ano passado foram sessões de no máximo uma hora, na média. Isso significa um valor por hora, considerando as três horas, de cerca de R$ 484,78.

 

No cômputo geral, e sempre considerando dados oficiais, os dez vereadores olimpienses teriam uma rotina de 9,6 horas de trabalho por mês, contra oito horas de trabalho diárias que o cidadão comum tem que cumprir na iniciativa privada.

 

Segundo o Regimento Interno da Câmara Municipal, as atividades legislativas são realizadas de 1º de fevereiro a 30 de junho, e depois de 1º de agosto a 5 de dezembro, ou seja, nove meses completos, com direito a três meses de férias.

 

Mas, nestes nove meses completos, os edis trabalham um total de 87 horas, nas primeira, segunda e quarta segundas-feiras de cada mês, três horas em cada uma destas sessões que, no entanto, não são cumpridas na íntegra e, conforme mostrado acima, na média, nem pela metade.

 

O texto baseia-se nos números absolutos mostrados pelo relatório das atividades legislativas, valores de vencimentos dos vereadores e tempo  oficial de duração para cada sessão, mediante cálculos livres feitos pela redação.

 

O levantamento não leva em conta a alegação dos detentores de cadeira na Câmara, de que trabalham o dia todo, fora das sessões, atendendo à população ou visitando bairros, recebendo reivindicações.

 

A propósito, no ano passado foram realizadas tambem sete sessões extraordinárias, geralmente convocada pelo Executivo, sete sessões solenes, destinadas a entrega de comendas, títulos e medalhas, e apenas uma audiência pública, quando se debate algum tema de interesse geral, com a participação do cidadão interessado.

Comentários