Vereadores atacam e Geninho defende Trindade

Secretário de Administração, Walter José Trindade, foi chamado de ‘eminência parda’ e ‘PC Farias’ em discursos na Câmara

 

O vereadores Jesus Ferezin (PTN) e Marcelo da Branca (PSL), na noite de terça-feira passada, 25, durante a Ordem do Dia na sessão ordinária da Câmara de Vereadores, fizeram inflamados discursos atacando o secretário de Administração do prefeito Geninho (DEM), Walter José Trindade, que para Da Branca trata-se de uma “eminência parda”, e Ferezin, a reencarnação do “PC Farias”, tesoureiro assassinado de Collor de Melo. Na quarta-feira, em sua conta na rede social Facebook, o prefeito saiu em defesa de Trindade: “Meu incondicional apoio ao secretário de Administração Walter Trindade”, disse ele.

“Passarei agora a comentar o tema ‘Eminência Parda’ na política”, começou Ferezin. A “eminência parda” que o vereador denuncia, teria o poder de atravancar certas soluções, barrar ações políticas que não seriam do seu interesse, “fechar a mão” em gastos pequenos e necessários e, mais grave, “perseguir, transferir, colocar à disposição, aposentar e mesmo exonerar seus desafetos”.

Segundo ele, “hoje existe uma ‘eminência parda’ tão poderosa e tão desprovida de pudor, que é o super, hiper, o megassecretário que decide, manda e desmanda a seu bel-prazer”. Este megassecretário estaria, inclusive, passando “como um trator de esteira sobre os demais secretários”. Diz o texto que “tudo precisa passar pelo seu crivo” - a compra de uma aspirina, uma bola, um saco de cimento, um lápis, caneta ou caderno.

“Qualquer funcionário, tanto faz se do primeiro, segundo ou terceiro escalão, até mesmo funcionários de serviços gerais que cair no desagrado ou divergir do ponto de vista do superssecretário estará ferrado, pois o mesmo será transferido de setor ou será afastado ou encostado em qualquer departamento, como castigo. Já os apaniguados e protegidos tudo podem, tudo têm.”

Ferezin diz ter exemplos de funcionários concursados que prestaram relevantes serviços ao município e à população durante anos e no momento “estão afastados, encostados, apenas por divergirem do atual superssecretário de plantão”. Ele sugere que os colegas usem o recesso de julho para reavaliar atitudes e assim voltarem “a ter credibilidade e o respeito da população”.

 

O ‘PC FARIAS’

Nas falas do vereador Leandro Marcelo dos Santos, o Marcelo da Branca (PSL), este mesmo secretário seria uma espécie de reencarnação do tesoureiro de campanha do presidente deposto Fernando Collor de Melo, Paulo César Farias, o “PC Farias”. “Sim, temos o nosso ‘PC Farias’ aqui”, diz ele. Porque se trata de um personagem que “age da mesma forma do que o anterior, fica por trás do Governo, nas sombras de nossas repartições semeando o mal, plantando desavenças e desrespeitando nossos cidadãos olimpienses, principalmente os próprios funcionários da municipalidade que, muitas vezes, são humilhados por ele, ameaçados”, acusa o vereador.

 “O ‘PC Farias’ não tem compromisso nenhum com nossa cidade, na sexta-feira, volta para o seu município de origem e deixa nós, vereadores, com a missão de apagar o incêndio que ele ocasionou durante toda a semana”, prossegue o vereador. Pede, ao final, que a Casa de Leis seja mais atenta com o que está acontecendo em nossa cidade, onde “pessoas desinteressadas por Olímpia estão tomando conta do Governo e não podemos permitir isso. Temos que agir rápido, não precisamos de ‘PC Farias’, não precisamos de imigrantes, todos sabem o valor que tem o povo olimpiense”.

 

MEDIDAS IMPOPULARES

O prefeito Geninho, como resposta aos ataques, e em defesa de seu secretário, postou no Facebook, na quarta-feira à tarde, o seguinte texto, na íntegra: “As medidas que tenho adotado desde o inicio deste mandato, impopulares para o clientelista, anteciparam-se em muito, aos atuais clamores populares de moralidade na gestão da coisa publica. Talvez por isso não agrada a todos. Meu incondicional apoio ao secretário de Administração, Walter Trindade”.

Além disso, provavelmente ainda para se defender dos ataques legislativos e também para responder ao “clamor das ruas”, postou ontem o seguinte texto: “Nestes últimos quatro anos promovemos aumento reais no salário dos servidores, além do abono-assiduidade e do vale alimentação. É claro que gostaríamos de fazer muito mais, porem já estamos comprometidos com quase 47% do orçamento geral da prefeitura com folha de pagamento.”

“Abrimos diálogo com o Sindicato e temos o melhor piso do professor da região. Quem paga o salário dos funcionários públicos é o povo e é para o povo que temos que trabalhar, com muita dedicação, carinho e comprometimento”, prosseguiu.

Depois, arrematou: “Confio muito no quadro de colaboradores da prefeitura e tenho certeza que as reclamações que recebo diariamente de funcionários públicos, são de uma minoria inexpressiva, pois a grande maioria é comprometida com o trabalho e com o município.”

Comentários