Vereador responde ao Planeta sobre retorno

 O vereador Paulo Poleselli de Souza (PR) que no final do ano passado foi retirado da Câmara com a volta do titular do cargo Guto Zanette (PSB) devidos às suspeitas de que não votaria no candidato oficial à presidência, Luiz Antonio Moreira Salata (PP), retomou a cadeira que dizia talvez não retomar, e tentou explicar sua decisão em pronunciamento da Tribuna na noite de segunda-feira passada, 2, no retorno às atividades legislativas da Casa de Leis.

Dizendo que respondia à pergunta da reportagem do Planeta News, Poleselli começou dizendo que “o lamentável episódio do final do ano, para não dizer baixo, que eu fui vítima, me desaminou da politica, porém foram muitas as ligações recebidas, pedindo para que, em respeito às 801 pessoas que depositaram seu voto de confiança em mim, eu voltasse, que não fizesse minha escolha com base nesse lamentável episódio”.

“Refleti bastante, estava mesmo inclinado a não voltar até dia 5 de janeiro”, enfatizou. O vereador disse que uma de suas bandeiras do ano passado, a questão da dependência química das drogas, problema contra o qual trabalha em parceria com juízes e promotores de Olímpia, tentando desenvolver um projeto também o forçou a voltar.

“Essa é a minha motivação de continuar na Câmara Municipal de Olimpia, esse é o meu ideal, essa é minha vontade. É para isso que eu recebi 801 votos. Não é para o lado sujo da politica é para o lado de ideais, é para o lado de projetos, é para o lado de abraçar as causas que me colocaram aqui e que me desafiam nas noites que passo sem dormir pensando naquele menino que volta (ao tráfico)”, enfatizou.

“Volto animado, volto motivado, volto desafiado, volto com o coração aberto, com o coração festivo por poder representar a cidade de Olimpia, que me honrou com 801 votos”, prosseguiu, em tom enfático, da Tribuna. “Esse lado triste, sinistro, essa noite escura que existe dentro da politica, virem a página, 2015 está pela frente com monte de desafios, com monte de projetos, são eles que me estimulam. Fico, sim”, enfatizou.

Comentários