Vereador diz que ‘cartão cidadão’ é gasto desnecessário

Vereador Flávio Olmos

O vereador Flávio Augusto Olmos (DEM), lançou vídeo esta semana em sua página pessoal no Facebook, onde critica duas iniciativas do governo municipal da Estância Turística de Olímpia, que para ele são “gastos desnecessários”: a contratação do Instituto Áquila para gestão administrativa e a implantação do cartão cidadão. Enquanto a primeira custou R$ 1,8 milhão, a segunda custou cerca de R$ 950 mil. Ambos, chegam a quase R$ 3 milhões em gastos. “Isso é mau uso do dinheiro público, é dinheiro indo para o ralo”, criticou o vereador.

“Será que era necessário gastar todo esse dinheiro?”, pergunta Olmos, que em relação ao Áquila, diz que há funcionários nos quadros municipais capazes de desenvolver este mesmo trabalho por custo bem menor, e em relação ao cartão cidadão, diz que é “dinheiro jogado fora” porque nenhuma outra gestão vai mantê-lo.

A Prefeitura diz que “o Cartão Cidadão é uma ferramenta de gestão, com o objetivo de concentrar o relacionamento do cidadão com a prefeitura, através de um único identificador”, conforme nota oficial encaminhada ao site de notícias Diário de Olímpia. Seria também uma forma de privilegiar o cidadão olimpiense em detrimento daquele de outras cidades no tocante à distribuição de medicamentos. Porém, para o vereador, é apenas “desperdício do dinheiro público”.

Comentários