Vereador culpa Governo Federal por atraso em UBS

O vereador Leonardo Simões (SD), líder do prefeito na Câmara, em resposta à representação feita ao Ministério Público contra o atraso nas obras da Unidade Básica de Saúde-UBS do Jardim Tropical II pelo vereador petista Hilário Ruiz, disse da Tribuna da Câmara que a culpa pela obra não andar, na verdade estar paralisada, é do Governo Federal, “que anda meio dificultoso em pagar”.

 

“Nesses últimos anos o Governo Federal tem tido muita dificuldade, não digo que não repassou recurso, mas repassa recurso a ‘conta-gotas’, e na verdade, depois deixa o ‘elefante branco’ para o município fazer o custeio, não repassa o valor correto”, disse ele em resposta a Ruiz. O vereador do PT deu entrada junto ao Ministério Público de Olímpia, no dia 17 passado, a uma representação contra o que considera prejuízo ao erário a não abertura da Unidade Básica de Saúde-UBS construída no Jardim Tropical II.

A prefeitura já havia se manifestado por meio de nota quanto a esta representação, reconhecendo a demora na inauguração da UBS, mas alegando basicamente falta de recursos do Governo Federal. “O orçamento já está comprometido e custeia os serviços atuais e ainda com muita economia. Para abertura imediata é necessário implemento no orçamento”, disse o Executivo Municipal.

“O repasse não vem na data e não têm vindo na data muitos outros repasses do Governo Federal”, atacou Simões. “O Governo do PT está meio dificultoso em pagar, infelizmente, precisamos trazer isso ao questionamento”, complementou. Aquela UBS, diz Simões, foi para aquele bairro porque havia uma proposta de fazer a cidade se expandir para aquele lado, na Zona Oeste. Mas a Administração Geninho levou esta expansão para o lado oposto, a Zona Leste, onde foram construídas mais de duas mil casas populares.

“Os recursos para investimento de custeio dessa UBS estão sendo usados na Estratégia de Saúde da Família-ESF, “que atende mais de 1,5 mil pessoas no Campo Belo”, observou. “Então precisamos deixar claro que, na verdade, não é um abandono, é uma questão de gestão”, enfatizou. Ruiz acusa o município no MP por “suposta prática de crime de improbidade administrativa, através da lesão ao erário público”.

A UBS do Tropical II teve autorização para as obras em 2009, por meio de convênio no valor de R$ 146.250, assinado com o Governo Federal, por meio do Ministério da Saúde, e R$ 10.443,01 como contrapartida da Prefeitura. As obras foram concluídas em 2010, “e o sr. prefeito municipal já no ano de 2011 deveria ter colocado a referida UBS em funcionamento”, cobra Ruiz na denúncia.

Comentários