UPA será inaugurada após 2,7 anos em obras

Cerimônia está marcada para às 10 horas da manhã; percalços começaram já em 2009  

 

 

Após exatamente dois anos e sete meses, a serem completados amanhã, sábado, 30 de junho, a Unidade de Pronto Atendimento-UPA 24 Horas será inaugurada. Construída na esquina da Avenida Deputado Waldemar Lopes Ferraz com a Rua Washington Luis, no Centro II, a Unidade tem cerimônia marcada para às 10 horas da manhã. Não há informação sobre presenças, mas é certo que o ministro da Saúde, Alexandre Padilha, esperado por Geninho (DEM), não virá.

 

Só neste ano de 2012 já houve quatro datas agendadas pelo Executivo Municipal para entregar à população em pleno funcionamento, aquele centro de atendimento médico emergencial. A promessa feita no final de 2011 era de entregar em janeiro. Depois, o Executivo veio a público dizer que, na verdade, a UPA só funcionaria a partir do final de fevereiro. Depois, que a Unidade estava prometida para o final do mês de março, mas só agora, no final de junho, será efetivamente entregue.

 

Trata-se de uma estrutura de complexidade intermediária entre as Unidades Básicas de Saúde (UBS e UBSF) e a porta de urgência hospitalar, onde em conjunto com estas, compõem uma rede organizada de atenção as Urgências/Emergências.

 

A unidade se destina aos usuários que procuram as portas dos serviços de urgência/emergência do sistema de saúde da rede SUS no município, no momento definido pelo mesmo como de necessidade aguda ou de urgência e vai substituir o trabalho que é prestado pelo Pronto Socorro da Santa Casa local, que passará a fazer o atendimento de urgência e emergência apenas de pacientes particulares e de convênios.

 

A estratégia de atendimento está diretamente relacionada ao trabalho do Serviço de Atendimento Móvel de Urgência-SAMU, que organiza o fluxo de atendimento e encaminha o cliente ao serviço de saúde adequado à situação. Ao chegar ao serviço de urgência demandando necessidade aguda ou de urgência, o paciente é acolhido pelos funcionários da portaria/recepção e encaminhado para confecção da ficha de atendimento.

 

Após sua identificação, o usuário é encaminhado ao espaço destinado à Classificação de Risco, onde é acolhido pelo enfermeiro e utilizando informações da escuta qualificada e da tomada de dados vitais, se baseia no protocolo e classifica o usuário em: Vermelho, ou seja, emergência e será atendido imediatamente como Prioridade I; Amarelo, ou seja, urgência e será atendido como Prioridade II no consultório ou leito da sala de observação; Verde, ou seja, sem risco de morte imediato. O paciente será atendido após todos os pacientes classificados como vermelho e amarelo serem atendidos.

 

A cor Azul, ou seja, quadro crônico sem sofrimento agudo ou caso social. O paciente deverá ser avaliado por enfermeiro e médico, encaminhado para atendimento em Unidade Básica de Saúde-UBS ou atendido pelo Serviço Social. Poderá ser atendido após todos os pacientes classificados como vermelho, amarelo e verde.

 

Nenhum paciente poderá ser dispensado sem ser atendido, ou seja, sem ser acolhido, classificado e encaminhado de forma responsável a uma Unidade de Saúde de referência. O paciente poderá permanecer em observação na UPA por até oito horas. Após este período, poderá ser encaminhado para a internação, transferido, conforme a necessidade de cada caso, para as UBS/UBSF ou terá alta para o domicílio e ou município de origem.

Comentários