Trindade é sócio de Laraya em empresa ‘de água’

Datema Ambiental fará nove meses 2ª feira e mudou sede para Álvares Florence

 

 

O superintendente da Daemo Ambiental, Walter José Trindade, já suspeito de ser “sócio oculto” de empresa que presta assessoria à Superintendência e prefeitura, é também sócio com Marcos Garcia Laraya, da Datema Ambiental Saneamento Básico Ltda., empresa que iniciou atividades em 10 de janeiro deste ano, e foi constituída em 27 de janeiro. A empresa está registrada na Jucesp como especialista em todo tipo de atividade relativa a água e esgoto.

 

Embora constituída em 27 de janeiro, até 2 de agosto a empresa sequer tinha registrado seu CNPJ, o que aconteceu somente tempos depois – 13.231.693/0001-75. Em 19 de agosto, a empresa mudou-se da Rua São Paulo, 4.090, em Votuporanga, para a Rua Maranhão, 631, em Álvares Florence, cidade com menos de quatro mil habitantes, na região de Votuporanga, cujo prefeito, Alberto Cesar de Caires, também é do DEM.

 

A empresa foi aberta com capital inicial de R$ 40 mil, sendo R$ 20 mil de José da Silva Costa, que consta morar em Campinas; R$ 10 mil de Marcos Garcia Laraya, e outros R$ 10 mil de Walter José Trindade. Até a última atualização, na quarta-feira, 5, por volta das 16 horas, não constava alterações na composição da sociedade ou alteração de capital inicial.

 

O que chama a atenção nesta “empresa-bebê” de Trindade e Laraya é seu objeto social: “Serviços combinados de escritório e Apoio Administrativo, Captação, Tratamento e Distribuição de Água, Construção de Redes de Abastecimento de Água, Coleta de Esgoto e Construções Correlatas, Exceto Obras de Irrigação, Gestão de Redes de Esgoto e Serviços de Preparação do Terreno Não Especificados Anteriormente”.

Até onde se sabe, no entanto, este empresa não tem contrato com o município.

 

SAIU DA OUTRA
Praticamente ao mesmo tempo em que abriu a nova firma, Marcos Garcia Laraya deixou a anterior, passando o comando para seus familiares, ampliando a denominação da empresa da qual é proprietário, e Trindade provável “sócio oculto”. No dia 3 de fevereiro de 2011, Laraya foi substituído por Marcos Henrique Ferreira Laraya e entrou para a sociedade Matheus Ferreira Laraya. A partir daquela data, também, a empresa passou a se denominar “Laraya, Laraya & Laraya Ltda.”, especializada em “Preparação de Documentos e Serviços Especializados de Apoio Administrativo”.

 

A empresa foi aberta com capital social de R$ 5 mil, dos quais R$ 4.950 eram de Laraya, e R$ 50 eram de Alessandra Ferreira Laraya, moradora em Votuporanga. Depois, ela teve este valor elevado para R$ 1.700, e os restantes R$ 3.300 foram divididos em partes iguais para os dois novos sócios – R$ 1.650 cada.

 

CONTRATOS

O prefeito Geninho (DEM) já firmou com a empresa Laraya, Laraya e Laraya Ltda-ME, contratos que somam mais de R$ 671 mil, a partir de 2010 até esta semana, salvo omissão de divulgação de eventuais novos contratos. Como se sabe, Trindade e Laraya chegaram juntos a Olímpia, convidados pelo prefeito, a mando do deputado estadual Rodrigo Garcia, conforme o próprio superintendente confessou depois. Trindade, para dirigir a Daemo Ambiental, e Laraya, para prestar consultoria.

 

O primeiro contrato fechado com a prefeitura, por meio da tomada de preços nº 23/2009, para “gerenciamento de projetos”, teve valor de R$ 303,6 mil. Depois, em 12 de abril deste ano fechou outro, por R$ 288.960, por meio da Tomada de Preços 05/2011, para “prestação de serviços em Gestão Pública de Recursos Humanos e Administração na área de Licitações e Contratos”.

 

E, por fim, um novo contrato foi firmado, desta vez com a própria Daemo Ambiental. Por meio da licitação 13/2011, na modalidade convite pelo menor preço global, e processo administrativo interno 23/2011, a Laraya, Laraya & Laraya faturou mais R$ 78.960 da Superintendência. O total dos três contratos - R$ 671.520 - divididos por 24 meses, corresponde a R$ 27.980 por mês.

Comentários