Terrenos no Centenário valeriam até 4,5 vezes mais

Estimativa é do prefeito, quando explicava questões legais envolvendo o loteamento: ‘Foi o maior ganho imobiliário’, disse

 

Para o prefeito Geninho (DEM), aqueles que compraram terrenos no loteamento Jardim Centenário, comercializado via leilões pelo município, tiveram “o maior ganho imobiliário” dos últimos tempos. Este ganho, segundo estimou, seria da ordem de até 4,5 vezes o valor pago por área que margeia a Avenida Harry Giannecchinni, e de até duas vezes por áreas internas.

 

O prefeito elaborou este exercício matemático para amenizar a denúncia feita na semana passada por um adquirente de terreno no loteamento, que tentou vende-lo e não conseguiu, por falta de certidão que a prefeitura não pode emitir (ver matéria nesta edição).

Mas, quanto a isso, disse o prefeito que “os compradores podem ter toda tranquilidade”, afirmando que “mais da metade” deles já teriam transferido os lotes para seus nomes.

A situação complicada do município frente à União se dá em função de vínculo trabalhista da “Frente de Trabalho” desativada ano passado, com a prefeitura, assim entendido pelo Ministério Público do Trabalho.

“É uma cobrança nova, e por causa dela o município fica sem a certidão negativa com INSS. Mas, nós vamos parcelar (a dívida), os proprietários podem ficar tranquilos”, pediu.

Depois disso, como reforço de suas explicações, fez as estimativas de supervalorização das áreas compradas pelos mais de 200 olimpienses ou não.

“Quem pagou R$ 40 mil por uma área que margeia a avenida, hoje tem um terreno valendo entre R$ 150 mil a R$ 180 mil. E quem comprou áreas por R$ 25 mil a R$ 30 mil nos terrenos internos, hoje tem um valor de R$ 60 mil”. Nos primeiros exemplos, a valorização teria sido de 3,75 a 4,5 vezes, respectivamente, e no segundo exemplo, de até duas vezes mais.

No tocante à solução para o problema da não possibilidade de emitir certidão negativa, Geninho estimou prazo de “30 dias ou menos”.

Comentários