Secretária vai à Câmara falar sobre Plano de Carreira

Convite foi feito pela Casa para rebater colocações feitas por professor na sessão passada na Tribuna Livre; Salata fez críticas a Marco Zalém Gomes

A secretária municipal da Educação, Eliana Bertoncelo Monteiro, atendendo a convite da Câmara de Vereadores ocupou por quase uma hora a Tribuna Livre da Casa na quarta-feira passada, 10, para tratar do Plano de Cargos, carreiras e Salários dos professores da Rede Municipal de Ensino, que havia sido objeto de crítica do professor efetivo Marco Zalém Gomes, presidente da Associação olimpiense da categoria, na sessão anterior, também na Tribuna Livre. Gomes havia chamado o vereador líder do prefeito na Casa, Leonardo Simões, de “mentiroso”, por dizer que o PCCS já estava pronto. Ao falar, Eliana Monteiro estava de posse do calhamaço dizendo ser o Plano.

Antes de dar a palavra à secretária, o presidente Salata (PP) fez um desagravo ao vereador Leonardo Simões. “Em nome dos princípios morais que aprendi com meus pais, apenas em uma ocasião e na semana passada, presenciei modos tão deselegantes de uma pessoa nesta Casa de Leis”, disse o presidente. A secretária iniciou sua fala relatando, reunião por reunião, os nomes de todos os professores presentes nelas. E em nenhuma relação constava o nome de Zalém Gomes. Relatou também todo o trabalho que foi feito em torno do documento, desde 2014.

“Nós tivermos no dia 13 de março de 2014, no Gabinete do prefeito, uma das primeiras reuniões quando foram apresentados professores que representavam a categoria. Nesta reunião, o prefeito Geninho (DEM) não se encontrava e ela foi dirigida pelo vice-prefeito Gustavo Pimenta. Nós tivermos, além do vice-prefeito, cinco supervisores da Secretaria Municipal da Educação, dos representantes do Sindicato, a secretária da Educação, três diretores e representantes de creches do Ensino Fundamental, nove professores, sendo três representantes de cada segmento.”

“Foi conversado sobre a Lei 2.727, que trata do Plano de Carreira. Estava sendo reivindicado um Plano, mas esta Lei que tratava do assunto era desconhecida por muitos professores, inclusive por quem estava na reunião. Ficou definido que se houvesse modificações na Lei a categoria seria consultada amplamente e realizadas novas reuniões”, relatou.

“No dia 16 de maio de 2014, nós iniciamos as tratativas para o Plano de Carreira e todas as escolas acharam os caminhos para definir a escolha de seus representantes. No dia 26 de Maio de 2014 foi escolhida a representante das creches, Michele da Silva Magri, e no dia 27 foi eleita a professora Fabiana Trindade Hernandez, e da Pré-escola foi escolhida Regina Célia Gouveia. Ainda no dia 27 foi escolhida a representante do Fundamental, professora Andréia Patrícia Cazarini. E outros membros que compuseram a Comissão fazendo reunião em 5 de junho de 2014.”

“Todas estas reuniões têm lista de presença à disposição de todos. Foram feitas reuniões até 16 de setembro de 2015. Nesta última não houve participação da secretária da Educação para que houvesse liberdade para os professores da Comissão”, complementou Eliana.

A secretária mostrou o PCCS, que qualificou de “fruto de um trabalho muito sério e árduo”. De acordo com ela, foi escolhido um Plano não totalmente novo, mas uma adequação do antigo, da Lei 2.727. “Essa foi a primeira decisão”, enfatizou. “O projeto está em fase de redação final para ser apresentado ao Jurídico, para que faça um estudo do impacto do Plano no Orçamento”, explicou.  O PCCS tem 104 Artigos e cinco Anexos contemplando várias modificações feitas pelos professores em vários Artigos.

Comentários