Secretária diz que há distorção da realidade

UMA VEZ E NUNCA MAIS
Conforme o Planeta News apurou ontem à tarde junto à Secretaria Municipal de Educação, houve sim, a compra de suco de laranja, ao preço de R$ 1,75 a garrafa de 200ml. Mas não foram 80 mil unidades e, sim, 66 mil, totalizando R$ 89,1 mil, por meio da Chamada Pública 03/2013. Estas garrafinhas foram distribuídas para alunos da creche até o Ensino Médio, ou seja, também nas escolas estaduais, totalizando cerca de 10 mil crianças e adolescentes.

A compra foi feita em dezembro de fato, de acordo ainda com a SME, mas o suco teria sido distribuído no começo de fevereiro, porque só após vencidos todos os prazos legais de uma Chamada Pública é que se pode efetivar a compra. E o consumo total do lote foi feito em cerca de uma semana.

“Criam-se distorções que só interessam a quem fala”, refuta a secretária Eliana Bertoncello Monteiro. Quanto à fala do vereador Ruiz de que “não vê“ suco de laranja na merenda, a secretária respondeu que “não vai ver mesmo”, porque não é servido na merenda. Essa de fevereiro de 2014 foi a primeira e última vez. “Se ele não foi às escolas naqueles seis a sete dias, não viu e nem vai ver mesmo”, enfatizou.

Eliana Bertoncello disse ainda que o suco servido não foi do agrado das crianças, de acordo com relatos de nutricionistas que, aliás, não recomendam a laranja em suco para merenda infantil. “Teve aluno que não quis tomar e levou para casa”, observou. Houve até a intenção de se comprar suco de laranja de produtores olimpienses, mas a secretária disse que o preço seria muito alto em vista do retorno nutricional.

“Conforme entendimento das nutricionistas, o suco de laranja deve ser consumido assim que é extraído, se não perde seus nutrientes. Por isso optamos por não servi-lo às crianças. Servimos outros tipos de sucos, conforme orientação da nutricionista-chefe da Administração”, explicou Eliana Monteiro.

Comentários