Secretaria de Cultura ainda não encerrou dividas do Fefol-2014

Para empresários, secretário Guto Zanette age com descaso; Zanette, por sua vez, diz que problema foi não prestação de contas em 2006

Devido a reclamações chegadas até a redação, a reportagem do Planet News entrou em contato com diversos empresários que prestaram serviços no último Festival Nacional de Folclore, em agosto do ano passado, já que estas reclamações davam conta de que muitos ainda não haviam recebido pelo que fizeram.

 

Um deles, Nilton Martins Garrido, sócio-proprietário da Centrograf, empresa que faz serviços gráficos para o Festival, confirmou que na sua empresa o prejuízo chega a R$ 35 mil.

“Fizemos a impressão do anuário, dos cartazes, dos convites oficiais, dos certificados, credenciais e revista de programação. A orientação primeira era para que fosse emitida nota para a Associação Olimpiense de Cultura, mas até hoje não recebi autorização para emissão da nota dos serviços prestados, e o pior, não consigo sequer falar com o secretário Guto Zanette, que nunca me atendeu e não fornece nenhuma justificativa para esse descaso”, desabafou o empresário.

O empresário disse ainda que, quando consegue falar com algum assessor, a justificativa que dão é de que estariam com problemas com uma prestação de contas não feita, o que teria gerado a negativação da Associação perante órgãos públicos, e que não estaria podendo receber recurso.

“Nunca partiu deles a procura, sempre eu quem procurou. Ao menos que me dessem satisfação, afinal o valor é considerável e faz falta para qualquer empresa. Mas, nunca recebi a consideração merecida, nunca nem falei com o secretário, que deveria estar ao menos preocupado em resolver essa situação, afinal já faz quase um ano”.

Outros empresários que prestaram serviço também confirmaram o não recebimento por eles, mas preferiram não entrar em detalhes sobre o assunto.

‘PROBLEMA NÃO É DA PREFEITURA,
É DA ASSOCIAÇÃO’, DIZ SECRETÁRIO
O secretário municipal de Esporte, Cultura e Lazer, Guto Zanette, procurado pela reportagem do Planeta News após as reclamações, disse que o problema com estas dívidas é que não houve prestação de contas ao Ministério do Turismo, em 2006, pela então diretoria da Associação Olimpiense de Defesa do Folclore Brasileiro-AODFB. O processo vinha rolando desde aquela época e “estourou” no ano passado, o do 50º Festival, segundo ele. “Recebemos a notificação em 2014”, observou.

Zanette explicou que estava tudo certo junto ao Programa de Ação Cultural-ProAc, o programa de incentivo à cultura nas modalidades ICMS e Editais, da Secretaria da Cultura do Governo do Estado de São Paulo, para a captação de um montante de R$ 399 mil. A Associação já tinha fechado com a Ambev e a Açúcar Guarani este repasse, mas veio a notificação de que o CNPJ da AODFB estava no “serasa” do Governo Federal por não-prestação de contas junto ao Ministério do Turismo, e a negociação “travou”.

“O Fefol tinha um Orçamento contando com esta previsão, mas o dinheiro não veio, e a previsão ‘furou’. Estamos agora tentando reverter junto ao Governo Federal esta situação”, disse o secretário. “Tinha a esperança de solucionar agora em 2015, mas não tivemos sucesso”, lamentou. Zanette frisou que “a dívida é da Associação, tanto para fornecedores quanto para prestadores de serviços. Não é o secretário, nem a prefeitura que devem”, descartou.

Ele disse que irá conversar com os fornecedores e prestadores de serviços para que aguardem a Receita deste ano, quando deverá acertar as pendências. A outra dívida mais alta, além da gráfica, é com a locação do palco– R$ 40 mil. “Como a prefeitura pode pagar isso?”, pergunta, diante de toda a burocracia a ser enfrentada, caso a lei permitisse. Mas ele diz não negar que são corresponsáveis, mas observa que a dívida está no CNPJ da Associação.

Uma das possibilidades de saldar os débitos é a antecipação da receita com locação de terrenos, barracas e parque. Disse que irá conversar com a atual presidente da Associação, Cidinha Manzoli, sobre a possibilidade de fechar, já em junho, os contratos, e assim eliminar as pendências.

Comentários