Secretária da Educação não sabe se fica na Pasta

Resolução do Governo Estadual pode tirar Eliana Monteiro do cargo municipal caso não haja mudança de decisão

A secretária municipal de Educação, Eliana Bertoncelo Monteiro, ainda corre o risco de ter que deixar o cargo a partir do início de agosto próximo, caso não haja mudanças na resolução baixada pelo Governo do Estado no ano passado, convocando todos os funcionários da Educação estadual afastados, a reassumirem suas cadeiras. Eliana é titular da diretoria da escola Alzira Toneli Zaccarelli, na Cohab III.

A informação de que ela poderia deixar o cargo surgiu no final do ano passado. A resolução que ameaça tira-la do cargo este mês, já a havia ameaçado em dezembro. Inicialmente ela teria prazo até 27 de janeiro para reassumir sua cadeira no Estado, decisão que foi depois prorrogada para 6 de julho. “É o que deve ter alimentado a conversa atual (nas ruas e nas escolas)”, segundo ela.

Mas, esta semana Eliana Monteiro informou que o Governo do Estado ampliou o prazo para estas convocações para até o final de julho. “Estou no aguardo da publicação. Se ela acontecer, deixo o cargo. Se não, continuo”, observou. “Como já estamos em julho, tenho poucos dias para aguardar a publicação. Estou na expectativa”, acrescentou.

Eliana já havia tornado público o assunto em entrevista ao Planeta News, em fevereiro passado, quando disse que já estava comunicada pelo Estado da mudança. No dia 26 de janeiro ela manteve contato com a diretoria de Barretos e recebeu a informação de que de fato deveria voltar para a escola e, assim, voltando para a escola, pediria a exoneração do cargo no dia 27.

“Também comuniquei o prefeito o que aconteceria. Entretanto, no dia 27, que é o dia no qual eu deveria voltar para a escola, saiu outra resolução, falando que nesse mesmo tempo todos os funcionários da Educação terão seu afastamento acessado a partir do dia 6 de julho de 2015. Então, até 6 de julho nós estamos regidos por essa resolução. O que vai acontecer, se vai sair outra, ou se essa vai ser mantida, aí nós vamos saber no decorrer do tempo. Mas até 6 de julho nós estamos amparados por essa resolução de 27 de janeiro”, relatou a secretária no início de fevereiro passado.

E, de fato, como ela esperava, a Resolução dilatou o prazo para até 31 de julho, tempo no qual ela saberá se sai ou se fica, embora não signifique que levará o mês inteiro para ela saber disso. A publicação, se for feita, pode sair na semana que vem, por exemplo. “A resolução pegou a todos de surpresa”, disse. Eliana diz que se não houver nova mudança nesta resolução, não há como encontrar uma solução para sua permanência.

“Acredito que da mesma forma como nós estamos nos organizando, o Governo do Estado também está passando por adequações”, ela diz, razão pela qual estaria convocando todos os afastados. Ao mesmo tempo Eliana aponta os muitos transtornos que esta medida trará, caso efetivada, não só à Administração Municipal, à própria Secretaria da Educação, ou à escola para a qual terá que voltar – onde se terá que fazer vários remanejamentos-, como também à própria Regional de Educação, em Barretos. “A até mesmo na Secretaria Estadual de Educação, por que não?”, observa.

Comentários