Saúde elege conselheiros para Conferência Regional

Foi realizada a escolha, por voto dos presentes, dos oito nomes que comporão a equipe que representará Olímpia em Barretos

A Secretaria Municipal da Saúde realizou na noite de segunda-feira, 8, a Conferência Municipal visando eleger nomes para compor a equipe que representará a Estância Turística de Olímpia na Etapa Regional, que será realizada em Barretos, nos dias 26 e 27 de junho. Este ano será realizada a 15ª Conferência Nacional em Saúde, e os municípios realizam suas plenárias municipais, nas quais fazem uma análise do contexto geral da Saúde no país e formulam propostas, que depois são encaminhadas para a Etapa Regional.

“Não existe obrigatoriedade da participação dos municípios neste processo, mas entendo que é de fundamental importância que realizemos nossa Plenária”, diz a Secretária Municipal de Saúde, Silvia Elizabeth Forti Storti. “As propostas que surgiram aqui dos vários segmentos da sociedade e de trabalhadores de Saúde serão encaminhadas para a Etapa Regional, em Barretos, onde todas elas serão analisadas. Todos os municípios encaminhando suas propostas, podem contribuir para melhorar, em termos de Saúde Pública, o país”, complementa Silvia Forti.

Após calorosos debates e elaboradas sugestões, foi realizada a escolha, por voto dos presentes, dos oito nomes que comporão a equipe que representará Olímpia na Regional de Barretos. São elas João Carlos Sponquiado, Vera Lúcia Maieiros, Francine Alessandra Moraes, Ana Júlia Gil Manzato, Daiane Andreoli, Lilian Camargo, Marcos Antônio Ferreira e Marcelo Posati.

Nessa etapa, as propostas formuladas por Olímpia e pelos demais municípios da Regional barretense que também tenham feito suas conferências serão discutidas e se forem propostas que coincidam entre a maioria dos municípios, elas vão para a Estadual, a ser realizada nos dias 22, 23 e 24 de julho, quando serão tiradas as propostas que serão encaminhadas para a 15ª Conferência Nacional, em Brasília, a ser realizada de 1º a 4 de dezembro.

“É muito importante a participação da comunidade, porque daqui podem ser tiradas propostas que sejam válidas para o Brasil inteiro, é muito válida esta discussão”, pontua Silvia Storti. “Todos sabemos os direitos que temos, mas nos esquecemos dos deveres, e eles são muitos, por isso temos sempre que participar quando surgem as oportunidades de colaborar para o aprimoramento da Saúde no país”, enfatiza a Secretária.

“O que surge aqui (na Conferência Municipal, em termos de propostas) também vai ser contemplado no Plano Municipal, na Programação Anual de Saúde, ou seja, é o anseio da população, o que a população quer que nós mudemos em termos de Saúde Pública local”, acentua.

Silvia Forti entende que o que precisa de fato ser fortalecida no setor é a Atenção Básica, a chamada “porta de entrada” do Sistema de Saúde. “É ali, onde a pessoa chega com a sua demanda, que as Unidades têm que se fortalecer, criar mecanismos, incentivos para que possamos melhorar, qualificar e assim realmente resolver 80% dos problemas da população.”

Silvia Forti lembra que o financiamento da Saúde “é tripartite”, com responsabilidades divididas entre município, Estado e União, cabendo a maior parte a esta última instância, depois ao Estado e no fim o município.

“Mas, o que nós temos visto hoje é que o município acaba sempre investindo mais que os outros dois responsáveis, o que acaba prejudicando todo o mecanismo de uma cidade, porque a cidade não é só Saúde, ela tem muitos outros setores. Por isso, é preciso que realmente se cumpram as corresponsabilidades, que cada esfera de Governo faça sua parte, para que os municípios não acabem arcando com a maior parte do financiamento da Saúde”, completa.

Comentários