Santa Casa reduziu em 35% os leitos-SUS nos últimos três anos

Na comparação entre 348 cidades do Estado em termos de leitos-SUS por habitante, Olímpia fica no 284º lugar, obtendo índice de um leito-SUS para cada 1.395 habitantes

O Blog “O Transparente”, que se auto-intitula “Tradutor de Dados Públicos”, distribuiu material esta semana no qual faz uma análise de leitos do Sistema Único de Saúde-SUS disponíveis ou não na entidade filantrópica Santa Casa de Misericórdia de Olímpia, conforme dados apurados junto ao Cadastro Nacional de Entidades de Saúde, o CNES.

Por meio deste levantamento analítico, sabe-se que o hospital olimpiense reduziu em 35% o número de leitos disponíveis pelo Sistema Único de Saúde, o SUS, ao mesmo tempo em que manteve inalterado o número de leitos não-SUS. Sabe-se, também, que Olímpia é o 284º município em número de leitos-SUS por habitante: um para cada 1.395 morador.

“Na sessão da Câmara Municipal do último dia 27 de maio os vereadores da base governista defenderam a tese de que o 3º andar da Santa Casa de Olímpia deveria ser ‘reativado’ para o tratamento de pacientes do SUS. Para que tal ação fosse concretizada, os edis alegaram devolver o montante aproximado de R$ 400 mil de sobras do duodécimo para equipar o andar com mobiliário adequado”, começa o Blog.

“Porém, ao final da sessão, uma cidadã, fazendo uso da Tribuna Livre, aventou que o referido andar já se encontra equipado e reformado desde o segundo semestre de 2017, e que acredita que o real motivo da sua não ocupação é a falta de profissionais, ou seja, a falta de contratação de equipe pela Santa Casa de Olímpia”, prossegue.

A cidadã citada pelo Blog é a enfermeira Maria Aidê Narcizo, que durante 37 Anos trabalhou no hospital olimpiense. Ela garantiu que o 3º andar da Santa Casa havia sido reformado em 2017, foi todo equipado com ar condicionado e TV nos quartos com duas camas cada um. “Ele foi inaugurado em janeiro ou fevereiro daquele ano, mas em agosto fechou, porque não tinha funcionários. E agora vai reformar de novo? Vai gastar R$ 300 mil?”, perguntou, indignada.

“Em resumo, o município tem informado ao MS que possui 39 leitos SUS disponíveis no único Hospital da cidade, ou seja, além dos 10 leitos masculinos e 10 leitos femininos da Enfermaria, somados a cinco leitos da pediatria, a Santa Casa possui ainda 14 leitos disponíveis segundo o CNES.

Portanto, conclui-se que ao menos parte dos 22 leitos ‘disponíveis’ no 3º andar da entidade deveriam ser utilizados para atender à população via SUS, mas na verdade encontram-se ‘empoeirados’ por falta de equipe de profissionais para suprir a demanda que é claramente existente.

Buscando promover o aprimoramento de nossa pesquisa identificamos que em janeiro de 2017 o município informou ao CNES existirem 60 leitos-SUS; em janeiro de 2018 o município informou ao CNES existirem 57 leitos-SUS; em janeiro de 2019 o município informou ao CNES existirem 39 leitos-SUS, promovendo uma redução considerável de disponibilidade na ordem de 35%.

Avaliamos também os leitos não-SUS,  e em janeiro de 2017 o município informou ao CNES existirem 34 leitos não-SUS; em janeiro de 2018 o município informou ao CNES existirem 37 leitos não-SUS; em janeiro de 2019 o município informou ao CNES existirem 35 leitos não-SUS, mantendo estável a disponibilidade de leitos não-SUS.

O blog também analisou os dados de outras 348 cidades do estado de São Paulo que disponibilizaram informações no CNES e efetuou um comparativo de disponibilidade de leitos-SUS por habitante e entre as cidades listadas Olímpia ficou na 284ª posição, obtendo um índice de um leito SUS para cada 1.395 habitantes. O melhor resultado entre as cidades listadas é do município de Jaci com 1 leito SUS a para cada 46 habitantes, e o pior resultado é do município de Vargem Grande Paulista, com um leito para cada 25.851 habitantes.

Outro comparativo feito pelo Blog foi a filtragem dos dados dos municípios entre 45 e 55 mil habitantes. Especificamente neste comparativo identificamos muito bem colocada uma Estância Turística, a de Campos do Jordão, na 23ª posição entre os 348 listados, e em 1º lugar entre os municípios entre 45 e 55 mil habitantes, obtendo um índice de um leito-SUS para cada 271 habitantes, número cinco vezes superior ao de Olímpia, que também é Estância Turística.

O Blog efetuou a análise de disponibilidade de leitos-SUS apenas em entidades filantrópicas, pois Olímpia não possui hospital sob administração do Poder Público Municipal. O cálculo para produção do ranking é resultado da divisão do número de habitantes estimado (IBGE 2018) pelo número de leitos informados no CNES. O referido ranking não tem caráter científico e não é parâmetro para avaliação dos serviços de Saúde dos municípios analisados”, finaliza.

Comentários