Prefeito não esconde que está interferindo na eleição da Mesa

Chefe do Executivo tem lista tríplice para presidir a Câmara Municipal, mas diz que só apoiará o candidato ‘que não tiver votos do Geninho’

O prefeito Fernando Cunha (PR) não escondeu que está interferindo diretamente nas tratativas visando à eleição da Mesa Diretora da Câmara de Vereadores. Até então, sabia-se que isso era praxe entre os dois poderes, mas nenhum prefeito falou escancaradamente sobre o tema. Também neste assunto Cunha encontra um fio condutor para atacar o ex-prefeito Geninho (DEM), a quem desde o princípio elegeu como seu principal inimigo.

“(Ele) Se elegeu deputado, devia ficar lá em SP, mas vem aqui e fica fazendo reunião com vereadores para votar em fulano ou sicrano”, reclamou. “Acho que ele dá esse palpite para a imprensa, de que eu o estou perseguindo, mas é ele que faz isso”, esquivou-se. “Se está envolvido em articular uma chapa de oposição a mim, na Câmara, é porque ele quer voltar a ser prefeito novamente, ou colocar alguém no meu lugar. A oposição vem neste sentido”, manifestou.

Para o prefeito, “a eleição da Câmara é o primeiro turno da eleição para prefeito”. O atual presidente, Gustavo Pimenta, diz o prefeito que foi eleito por ele, “mas se bandeou para o lado do Geninho no outro dia”. E prosseguindo na sua teoria da conspiração, diz que tem um grupo lá dentro (da Câmara) muito próximo do Geninho, “que tenta montar uma chapa”. Disse que a tentativa de cassação do vereador de sua bancada Hélio Lisse (PSD), fazia parte desta articulação para montar uma chapa.

Mas a quase cassação de Lisse decorreu de acusação de assédio sexual a uma funcionária da Casa, ex-assessora legislativa de Niquinha, vereador e também da base de Cunha. Cunha disse que dos 10 vereadores, só Luiz do Ovo, Pimenta e Salata não votariam com ele na Mesa, por estarem com Geninho. “São três votos, mas o Flavinho (Olmos, que se elegeu pelo DEM)não, é um voto automático (que tiro) do Geninho. Quanto à candidatura a presidente, disse que “tem a do Niquinha, do Fernandinho e do Magalhães. Difícil dizer (quem será), eles têm três votos. Eu posso ter sete, posso ter cinco (votos)”.

Cunha acusou o grupo adversário inclusive de ter atraído o Niquinha para ser candidato deles, “com os votos deles. Eles teriam quatro votos, mas faltariam seis. E eles podem perder”, disse Cunha, acrescentando que “não sou contra a candidatura do Niquinha, sou contra se vier com os votos do grupo do Geninho. Se vier indicado pelos vereadores que me apoiam, apoio o Niquinha. Mas eles é quem tem que decidir quem é (o candidato). Se qualquer um deles vier apoiado pelos vereadores do Geninho, aí sou contra . Posso até perder, mas eu não vou aceitar isso”, esbravejou.

 

Comentários