Prefeito faz reuniões com funcionários para falar de investimentos na Saúde

Em meio ao intenso bombardeio que sua gestão vem recebendo devido ao caos instalado na Saúde municipal, chefe do Executivo reúne funcionários do setor para ‘fazer propaganda’

Prefeito Fernando Cunha

Há um consenso na cidade de que a Saúde municipal está caótica. As críticas vêm de todos os lados e de variadas formas. A situação carece de ações imediatas visando estancar a sangria de apoio ao seu governo, mas o prefeito Fernando Cunha (Sem partido), prefere fazer reuniões com os funcionários da Saúde, o público menos afeito e mais inadequado para enaltecer seus feitos, como já o fez por duas vezes no mês passado. De acordo com fontes ligadas ao setor, foram encontros inócuos e fora de propósito.

O mais recente ocorreu na manhã do dia 29 de maio, com os funcionários da Unidade de Pronto Atendimento-UPA. “A reunião teve como intuito destacar o trabalho que vem sendo desempenhado na Unidade (eivado de críticas), agradecer os servidores pelo empenho e também explicar o que será feito para melhorar o fluxo do local”, segundo a nota oficial do Executivo. Junto com o prefeito, estava o secretário municipal de Saúde, Marcos Pagliuco.

No encontro, Pagliuco deu a Dengue como favas contadas ao afirmar que “o empenho de cada um foi fundamental para enfrentar a crise gerada pela dengue” que, no entanto, ainda está entre nós, com seus mais de dois mil casos registrados.

O prefeito Fernando Cunha preferiu falar das melhorias que “ainda neste ano a Santa Casa vai receber”, ou seja, um Centro de Urgências e Emergências para colaborar com os atendimentos da UPA, e também destacou as contratações de quase vinte novos profissionais e a remodelação da Unidade com reformas e compra de novos equipamentos. Nada de falar sobre diretrizes a serem adotadas para melhorar o cenário no setor.

Segundo o informe, a UPA realizou mais de 27.500 procedimentos somente nos primeiros quatro meses do ano, entre consultas médicas, exames e transferências para a Santa Casa e hospitais da região.

Outra reunião havia sido feita no dia 24 de maio, na própria Secretaria de Saúde, “para discutir diretrizes de trabalho e avaliar o que tem sido realizado nos últimos meses na área, que é uma das mais importantes e prioritárias para a gestão”. Presente, mais uma vez, o secretário de Saúde, Marcos Roberto Pagliuco, além de diretores de divisões e os chefes de setores. “O objetivo foi reunir os representantes dos departamentos para traçar um panorama conjunto do trabalho prestado pelo município e discutir novas ações”.

“Durante o encontro promovido no auditório da Secretaria de Educação, cada divisão expôs os investimentos e medidas realizados para melhorar os atendimentos e como a gestão tem trabalhado com o objetivo de aperfeiçoar os serviços oferecidos”.

O prefeito Cunha, como de praxe, citou algumas ações e atividades que a administração tem feito desde o início do ano, principalmente no combate à dengue. Ressaltou, também como de praxe, que o município está investindo ainda nas contratações de novos profissionais e em um Centro de Hemodiálise”. Depois, falou sobre o 3º andar da Santa Casa e sobre a viabilidade de utiliza-lo para ampliar a capacidade de leitos hospitalares do município e aumentar o número de atendimentos. Também foi abordado o projeto de implantação de um novo pronto atendimento, ao lado do hospital, para otimizar os atendimentos da UPA.

“Foi um amontoado de palavras e ideias, nenhuma proposta concreta que vise estancar esta sangria desatada que está a saúde de Olímpia”, disse uma fonte do setor. “Não é com conversas e convescotes (sic) que vamos solucionar este grave problema”, completou.

Comentários