Prefeito e Santa Casa fecham parceria e terceirizam Centro de Hemodiálise

A instalação deste setor de atendimento a cerca de 40 pessoas da cidade foi o principal argumento dos vereadores que votaram a favor do empréstimo de R$ 7 milhões

O prefeito Fernando Cunha (Sem partido) e a Santa Casa de Misericórdia acabam de fechar parceria e terceirizar o Centro de Hemodiálise da Estância Turística de Olímpia, que deverá atender cerca de 40 moradores da Estância e outros tantos da micro e macrorregião, uma vez que seu funcionamento será em caráter particular e não SUS.

O Centro de Hemodiálise para Olímpia foi o principal argumento usado pelos vereadores que votaram a favor do empréstimo de R$ 7 milhões recentemente. Diziam eles que do montante a ser retirado da CAIXA, cerca de R$ 1,2 milhão “poderia ser usado” na implantação deste Centro, a ser gerido pelo próprio município, por meio da Santa casa de Misericórdia de Olímpia.

No entanto, conforme o Planeta News já havia noticiado meses atrás, estava em andamento uma conversa entre o hospital e esta empresa que irá assumir o CH, tratativas que, ao que parece, só agora foram concretizadas. De qualquer forma, soam como meras desculpas as falas dos vereadores em favor do empréstimo, que usaram a doença de dezenas de olimpienses para chancelarem o endividamento do município.

A proposta do município, segundo nota oficial, “é de que o Centro tenha as instalações físicas na Santa Casa de Misericórdia, o que deve, inclusive, gerar receitas adicionais ao hospital pela prestação do serviço”.

A estimativa de investimento é de R$ 2 milhões para implantação, que será feita pela iniciativa privada. O funcionamento e a manutenção serão pagos com recursos da Prefeitura, de acordo com a tabela do SUS, que prevê uma remuneração de R$ 194,50 por sessão realizada, sendo que, em média, cada paciente faz 12,5 sessões por mês, ou seja, custa em torno de R$ 2,4 mil cada um, o que deverá onerar em quase R$ 100 mil mensais os cofres públicos, até que o local possa ser credenciado pelo SUS e receba os repasses do Governo Federal.

O provedor do hospital, Luiz Alberto Zacarelli, se comprometeu a adequar um espaço para o funcionamento do serviço. Vale ressaltar que a implantação não irá alterar os espaços voltados ao atendimento do hospital.

O secretário municipal de Saúde, Marcos Pagliuco, disse que o prazo estimado para implantação do Centro é de pelo menos oito meses, e seu pleno funcionamento está previsto para meados de abril do ano que vem.

A implantação irá beneficiar todos aqueles olimpienses que precisam, quase que diariamente, se deslocar em viagens para outras cidades da região, como Bebedouro, Rio Preto e Ribeirão Preto, para realizar o tratamento.

Comentários