Prefeito anuncia 5.9%, oferece 4.91% e irrita municipais

Em assembleia categoria queria ouvir entrevista do prefeito à rádio Espaço Livre anunciando o índice; Sindicato pediu 6.50%

 

Uma entrevista concedida esta semana à rádio Espaço Livre AM pelo prefeito Geninho (DEM) colocou em polvorosa os cerca de 100 funcionários municipais presentes à assembleia da categoria na quarta-feira, 19, à noite, na Casa de Cultura. É que, nela, Geninho antecipou que iria dar um reajuste de 5.9% aos municipais, para pagamento neste mês de fevereiro, “a título de adiantamento”, conforme suas palavras.

 

 Mas, quando teve que oficializar sua proposta de reajuste, os índices ficaram bem abaixo, em 4.91%. Revoltados, os funcionários rejeitaram a proposta. O presidente do Sindicato dos Servidores Municipais, Jesus Buzzo, se disse preocupado também com a defasagem do piso dos municipais, cujo valor de R$ 704 já foi pago duas vezes. O valor fica abaixo do salário mínimo nacional, que desde janeiro é de R$ 724.

 

Na entrevista que concedeu à Espaço Livre, Geninho disse textualmente: “5.9% é a proposta. Pago em fevereiro a título de adiantamento. Depois, se chegar a 6.2%, pago a diferença, porque o Sindicato quer ganho salarial”.

 

Mas, para surpresa dos presentes à assembleia, o Sindicato anunciou proposta de 4.91%, quando o pedido da categoria era de 6.50%, sendo 5.91% da inflação do ano passado, mais 0.59% de ganho real.  A data-base do funcionalismo é janeiro. “O cálculo feito não nos satisfez. Não concordamos e a proposta foi rejeitada”, disse Buzzo.

 

Com esta decisão, Buzzo voltou a procurar o prefeito, na manhã de ontem, quinta-feira, mas foi informado de que Geninho não estava na cidade. Só na semana que vem será recebido. “Acredito que com facilidade não sai (o aumento), mas a questão precisa ser discutida”, diz. Caso o prefeito não aceite a contraproposta, será feita uma nova assembleia, mas só em março, devido aos trâmites burocráticos.

 

Naquela mesma entrevista o prefeito disse também que “pelo menos a inflação” daria aos trabalhadores, e não o fez nesta primeira proposta, irritando os presentes. Disse até que seu secretário de Finanças, Cleber Cizoto, havia colocado no orçamento anual, 6% a mais a título de reajuste.

Quanto ao pagamento extra aos funcionários municipais que tiveram promoção por mérito – entre 250 a 300 deles -, Geninho disse que foram despendidos R$ 43 mil a mais em folha de pagamento este mês com as gratificações.

Comentários