Ponte reformada da Prainha e com estrutura danificada, gera polêmica na cidade

Prefeitura teve que distribuir Nota Oficial a fim de esclarecer a situação e prometer nova travessia, de concreto; prefeito tinha feito uso político da reforma superficial

A nova descoberta das redes sociais desta semana foi a estrutura de concreto arriada existente sob a ponte do Rio Cachoeirinha, que por ter sido reformada e entregue ao tráfego em final de julho passado, gerou intensa polêmica. Primeiro a denúncia começou a circular pelo aplicativo WhatsApp e logo em  seguida chegou ao Facebook, onde viralizou em pouquíssimo tempo. Com certeza o que mais irritou o contribuinte foi que a ponte foi reformada e o prefeito a entregou com um certo alarde, chegando a fazer fotos nitidamente eleitoreiras, com moradores das imediações.

Não se sabe se foi lapso da equipe de apoio do prefeito ou opção mesmo de não informar o cidadão quanto ao problema da estrutura em concreto e ferro. A ponte havia sido interditada pela Engenharia da prefeitura, por apresentar riscos aos usuários. Depois, passou pela reforma que custou R$ 30 mil segundo a prefeitura, tornando-a trafegável, porém só para carros e outros veículo de pequeno e médio portes. Piso e corrimão foram pintados, e tudo transcorria bem até surgir a malfadada imagem da estrutura pendida para a direita.

Foram muitas as críticas e ironias na rede social, com muitos internautas replicando a foto feita por baixo da ponte, bem como aquela feita por cima, quando o prefeito posa com moradores das imediações. Há quem diga que o prefeito Fernando Cunha (Sem partido) deveria ter poupado sua imagem informando à população sobre o problema havido em baixo tão logo começou a reforma, ou logo após sua conclusão. Como fez, deu a impressão de querer esconder o problema. Mas, se foi isso, ficou pior, pois a população acabou sabendo da pior forma possível.

De acordo com nota da prefeitura, “desde janeiro de 2016 o pilar da ponte da Prainha já havia se deslocado devido às fortes chuvas, mas foi liberada para o trânsito após laudos técnicos e análises de segurança”.

Segundo o secretário responsável, Leandro Pierin Gallina, “a ponte, que foi construída em estrutura mista (madeira, concreto e aço) no início dos anos 60, vem sendo acompanhada pela Secretaria e o deslocamento do pilar não oferece risco estrutural”. Mas, pelo sim, pelo não, houve muita gente no Facebook garantindo que nunca mais passa por lá.

“Em visita recente ao local, o prefeito Fernando Cunha já autorizou a contratação de um projeto para a construção de uma nova ponte de concreto, com duas faixas de rolamento, para substituir a ponte atual. Recentemente, a secretaria de Obras realizou uma manutenção na ponte com a substituição do madeiramento que apresentava desgaste, provocado pela passagem de veículos pesados. Foram substituídas as pranchas e o madeiramento, além de terem sido feitas manutenções do guarda-corpo e nova pintura para maior conservação da madeira.”

“Nas duas extremidades da ponte, também foram colocados dois limitadores de altura de 3 metros, evitando assim que caminhões de grande porte passem pelo local e provoquem novos transtornos. A secretaria de Obras ressalta ainda que vem monitorando constantemente a situação e que caso seja identificado algum risco aos moradores e usuários, a ponte será novamente interditada.”

As obras foram realizadas com recursos próprios e a mão de obra ficou a cargo de servidores públicos municipais, incluindo os da Prodem. A estimativa é de que tenham sido investidos cerca R$ 30 mil reais em todo o trabalho executado.

 

Comentários