Pátio terceirizado terá preços entre R$ 87 e R$ 209

Cobrança por rebocamento de veículos e guarda no pátio será feita em UFESP’s

 

 

O Pátio Unificado de Olímpia, responsável pelo serviço de guarda e depósito de veículos envolvidos em acidentes e infrações de trânsito será terceirizado pela prefeitura, e terá preços que variam entre R$ 87,50 a R$ 209,40 para rebocamento, além de valores diários entre R$ 1,74 a R$ 17,45 para a guarda do veículo recolhido.

 

São valores estabelecidos no projeto de Lei 4403, aprovado por unanimidade na Câmara de Vereadores segunda-feira passada, 10. O veículo só poderá ficar 90 dias no pátio. Após este prazo, será leiloado.

 

O Serviço Municipal de Guarda e Depósito de Veículos automotores consiste na exploração, por terceiros, de pátio de recolhimento unificado, mediante cobrança das despesas decorrentes da retenção, guarda, depósito e custódia diária dos veículos, cujos valores serão fixados pela lei que se originará, em Unidade Fiscal do Estado de São Paulo-UFESP.

 

Para o rebocamento ou semirrebocamento de veículos de passeio, com até 1,5 mil quilos, utilitários, triciclos, quadriciclos e similares, serão cobradas sete UFESPs, ou R$ 122,15 por veículo. Motocicletas, cinclomotores, motonetas e similares, pagarão cinco Unidades, por veículo, ou R$ 87,50. Rebocar ou semirrebocar caminhão, caminhão-trator, ônibus, microônibus e similares, acima de 1,5 mil quilos, vai custar 12 UFESPs, ou R$ 209,40.

 

Já para a guarda e depósitos de veículos, serão cobradas, respectivamente, uma UFESP por dia, ou R$ 17,45; 0,60 (ou seis décimos) de UFESP (R$ 10,47), e 0,10 (um décimo) de UFESP, ou R$ 1,74, por metro quadrado de área ocupada/dia, já que tratam-se, neste caso, de caminhão, caminhão-trator, ônibus etc.

 

Será repassado para o município, mensalmente, 10% do valor total bruto arrecadado. A assessoria jurídica da prefeitura informou durante a sessão que os preços representam uma media do que é cobrado na região, apurados em cidades do porte de Olímpia. “Algumas taxas são até menores”, disse Edilson De Nadai ao líder do prefeito na Câmara, vereador Salata (PP).

Comentários