Organizadores comemoram sucesso de mais uma edição do Fifol

Anunciando a data do 11º Festival Internacional de Folclore de Olímpia, de 20 a 28 de maio de 2017, a coordenadora do Grupo Olimpiense de Danças Parafolclóricas “Cidade Menina Moça” (Godap), Maria Aparecida de Araújo Manzolli, professora Cidinha Manzolli, como é chamada, encerrou as atividades da 10ª edição na noite do último domingo, 22, em clima de comemoração pelo sucesso alcançado em mais uma edição do evento, que conta com apoio da Prefeitura da Estância Turística de Olímpia.

Durante nove dias, quatro grupos estrangeiros promoveram e difundiram manifestações folclóricas internacionais. Argentina, Canadá, Chile e Grécia mostraram suas tradições por intermédio da dança não apenas no palco principal montado na Praça da Matriz, mas também percorrendo hotéis, comércio, escolas, Distritos de Ribeiro dos Santos e Baguaçu, além de participarem dos Workshops realizados na Casa da Cultura durante as manhãs da semana.

“O contato dos alunos com os grupos nas oficinas realizadas foi muito enriquecedor, quem participou pode conhecer mais sobre as vestimentas, a história por trás das danças e ainda aprender alguns passos. Recebemos um número considerável de alunos, tanto da rede municipal quanto da estadual, que por vezes não hesitaram em ocupar as escadarias de nosso plenário para que todos pudessem participar”, relatou o Secretário de Cultura, Esportes e Lazer, Caio Longhi.

“Por isso o apoio da Prefeitura é importante. Para podermos proporcionar esta troca de conhecimento e também de incentivo à cultura e à tradição do Folclore, tão presente em nossa cidade”, completou Caio Longhi.

 

A PROGRAMAÇÃO

As apresentações na Praça voltaram na noite de terça-feira, dia 17, após o “recesso” na segunda, com a participação dos alunos de ballet e dança contemporânea da Academia Physical. Na quarta-feira, 18, o músico Rochinha se apresentou com sua banda, além das apresentações do Godap, representando o Brasil, da Compañia Coreográfica Argentina, do Grupo Nouvelle Époque, do Canadá, do BAFOCHI – Ballet Folclórico de Chile e do Psiloritis Folk Dancing Group of Chania, da Grécia.

“O Festival de Olímpia se diferencia totalmente dos demais que já participamos. A integração entre os grupos é muito maior, além do acolhimento dos brasileiros que já deixaram sua marca em nossos corações”, disse Sylvain Martin, coordenador do Nouvelle Époque do Canadá.

Na noite de domingo, a professora Cidinha Manzolli declarou encerrada a décima edição do Fifol após a apresentação dos grupos, agradecendo todos os parceiros e apoiadores, principalmente a Prefeitura de Olímpia, por intermédio do Prefeito Geninho Zuliani, “que acredita na força cultural e turística do evento”, disse.

Comentários