Olímpia tem o primeiro deputado federal em sua história

Deputado federal Geninho Zuliani e sua família

Um político predestinado a fazer história. Ou, no mínimo, a quebrar paradigmas. Assim pode ser definido Eugênio José Zuliani, o Geninho Zuliani (DEM), vereador, presidente da Câmara e prefeito por dois mandatos (2009-2012/2013-2016) da Estância Turística de Olímpia, que acaba de ser eleito deputado federal com 89.378 votos, 0,42% do total destinado aos candidatos à Câmara Federal, pela coligação PSD-DEM-PP.
Geninho ficou na 49ª posição entre os representantes paulistas eleitos. Nos seus 115 anos de existência, a cidade nunca havia tido um deputado federal. Em Olímpia, ele recebeu no total 8.291 votos, o que está dentro das projeções feitas em campanha.
O deputado federal tem seus poderes de legislador bastante amplificados, uma vez que lhe compete o ato de legislar e manter-se como guardião fiel das leis e dogmas constitucionais nacionais, inclusive podendo propor, emendar, alterar, revogar, derrogar leis, leis complementares, emenda à Constituição Federal e propor emenda para a constituição de um novo CC (Congresso Constituinte) para confecção de nova Constituição.
Ou seja, em nível de representação política, não só Olímpia será beneficiada, mas toda uma vasta região onde seus principais líderes não alcançaram seus objetivos. Mas a Estância, sem sombra de dúvidas, ganha um novo status de representatividade.
Para se ter uma ideia do valor da conquista de Geninho Zuliani por Olímpia, basta dizer que apenas outros dois candidatos próximos de nossa região foram eleitos federais, sendo Geninho o segundo colocado -Fausto Pinato (PP) com 117.795 votos e Luiz Carlos Motta (PR) com 73.754 votos.
O ex-prefeito de Olímpia, desde muito jovem começou a militar politicamente, sendo eleito vereador pela primeira vez aos 18 anos e só não assumiu a cadeira no Legislativo olimpiense por ter empatado com um candidato mais velho. Mas foi vereador em duas legislaturas, presidente da Câmara e prefeito de Olímpia por dois mandatos entre 2009 e 2016.
Foi ele quem, na prefeitura, obteve do Governo do Estado o título de Estância Turística para Olímpia, o que conferiu um novo patamar econômico para a cidade, que recebe cerca de R$ 4 milhões por ano por meio do DADE (Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias) para implantação de projetos e estruturas ligadas ao turismo.
O que deu grande visibilidade ao agora deputado federal de Olímpia, foi seu trabalho junto ao Governo do Estado, mais exatamente no projeto Cidade Legal, por meio do qual viabilizou regularizações de áreas e possibilitou escrituras e legalizações de loteamentos e imóveis de pessoas que há anos sofriam com estes problemas, beneficiando milhares de famílias em todo Estado.
O Cidade Legal, do qual ele era o coordenador, era um programa da Secretaria de Habitação do Estado, cujo secretário era seu parceiro político Rodrigo Garcia. Com essa responsabilidade, Geninho visitou praticamente o Estado inteiro, desenrolando, regularizando e dando títulos de posse aos donos de terrenos ainda não legalizados.
Enquanto prefeito de Olímpia, foi também grande preocupação do deputado federal eleito a questão habitacional da cidade. Dinâmico, trouxe mais de três mil moradias populares, reduzindo drasticamente o déficit habitacional.
Agora, suas preocupações são de outro nível: "Em 2019 serão votadas três reformas estruturantes para o país. Então precisamos ter um Congresso sério, com parlamentares comprometidos com a sociedade, com a coletividade, e não com corporações e que realmente pensem no futuro do Brasil. Eu acho que a renovação parcial do parlamento, com boas pessoas que pensam nas próximas gerações, é o futuro do país", afirmou.

Comentários