Olímpia mantém ritmo dos últimos anos e supera meta nacional do Ideb

O índice é apurado a cada dois anos, e desde 2007 Estância vem em ritmo sempre crescente nas apurações dos índices de desenvolvimento da Educação básica

Equipe da escola Capitão Narciso Bertolino

O resultado do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica-Ideb 2017, divulgado nesta segunda-feira, 3, pelo Ministério da Educação-MEC e pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira-Inep, vem mais uma vez comprovar a qualidade da rede municipal de Ensino da Estância Turística de Olímpia. Segundo o relatório, os anos iniciais do Ensino Fundamental alcançaram Ideb 6.8, quando a meta projetada para 2017 era de 6.3.

Desde que o índice foi criado, em 2007, a rede municipal olimpiense sempre atingiu a meta estipulada, e a nota de 2017, inclusive, já está acima do que era previsto para ser alcançado até 2021. O levantamento é feito a cada dois anos, portanto estes últimos índices vêm desde 2016, o que mostra que a atual gestão pelo menos deu conta de manter o nível educacional na cidade no ano passado. O município também ficou acima do Ideb Nacional, que registrou 5.8, e do Ideb do Estado de São Paulo, cuja nota foi 6.6 para os anos iniciais do Fundamental.

Os anos medidos foram a 4ª série até o 5º ano, a 8ª série ao 9º ano e a 3ª série do Ensino Médio. O Ideb observado e as metas projetadas abrangeram vem abrangendo Olímpia desde 2005, na verdade, com resultado primeiro em 2007, depois 2009, 2011 e assim por diante, até finalmente o ano passado. Mas as projeções vão até 2021, cuja meta projetada para daqui quase quatro anos, de 6,7, já foi batida. 

Conforme o histórico do índice, em 2005 Olímpia teve índice escolar de 4.7, mas ainda não havia medição oficial. Em 2007, quando teve início o Ideb, Olímpia já alcançara 5.2; em 2009, foi a 5.5; em 2011, a 6.2; em 2013, a 6.3; em 2015, foi a 6.5; em 2017, a 6.8; Nestas seis ocasiões, os índices obtidos superaram as metas estabelecidas.

Em relação às escolas participantes da pesquisa, a EMEB Theodomiro da Silva Melo atingiu nota 7.6, sendo a unidade com o melhor desempenho do município. Além disso, apenas uma das dez escolas não alcançou a meta, enquanto as demais cumpriram a projeção para 2017 e apresentaram crescimento em relação à nota de 2015.

Destaque ainda para a EMEB Washington Junqueira Franco, do distrito de Baguaçu, que conseguiu o maior crescimento do Ideb 2015 para 2017, passando de 6.3 para 7.1, e também para a EMEB Professor Maurício César Alves Pereira, que apresentou o maior índice alcançado (7.2) em relação à meta projetada (5.5).

A 3ª MELHOR ESCOLA ESTADUAL DO PAÍS
Em relação aos anos finais do Fundamental da rede estadual, Olímpia se destacou ainda mais, sendo que a Escola Estadual Capitão Narciso Bertolino atingiu a terceira melhor nota em todo o país, com um Ideb de 7.2. Desde 2015, a escola já demonstrava um salto no desempenho quando atingiu Ideb 6.3, tendo saindo da nota 4.8 em 2013.

O Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) foi criado em 2007 e reúne, em um só indicador, os resultados de dois conceitos igualmente importantes para a qualidade da educação: o fluxo escolar e as médias de desempenho nas avaliações. Ele é calculado a partir dos dados sobre aprovação escolar, obtidos no Censo Escolar, e das médias de desempenho nas avaliações do Inep, o Sistema de Avaliação da Educação Básica (Saeb) – para as unidades da federação e para o país, e a Prova Brasil – para os municípios.

Segundo o MEC, os resultados são importantes para mensurar o desempenho do sistema educacional brasileiro e, assim, aprimorar a educação para que o país alcance níveis educacionais compatíveis com seu potencial de desenvolvimento.

Comentários