Município devolve área central a Cajobi

Foi o projeto mais curioso entre os que foram deliberados na sessão de segunda-feira da Câmara de Vereadores

 

O projeto de Lei 4.640, de autoria do Executivo, que autoriza o Poder Executivo a efetuar cessão de transferência de propriedade ou de direitos reais a ela relativos, da área de terra urbana situada no município de Cajobi, constituiu-se no mais curioso entre os que foram deliberados na sessão ordinária de segunda-feira passada, 10, da Câmara de Vereadores.

 

Trata-se de uma área de terra urbana com 1.760 metros quadrados, localizada na Rua dos Padres, Cruz, Amaro e Piton nº 286, no vizinho município, que até então pertencia a Olímpia, conforme objeto de transcrição nº 1.130 do Cartório de Registro de Imóveis.

 

A transferência será feita para regularização acerca dos prédios públicos, após a Lei Estadual nº 1.289, de 31 de dezembro de 1926, que emancipou o hoje município de Cajobi.

 

A solicitação foi feita ao Executivo olimpiense pelo município de Cajobi, por meio de ofício encaminhado a Olímpia no final do ano passado, assinado pelo prefeito Márcio Donizetti Barbarelli .

 

Esta área pertencia, antes, a Izidoro Paschoal e sua mulher, Izidora Sanches, que a venderam à Câmara Municipal, pelo valor de dois centos de reis, no dia 20 de março de 1922.

 

Tratava-se de um casal espanhol de lavradores. O prefeito à época era José Soares de Medeiros. A área, então se localizava na Fazenda Coqueiros, na estação de Marcondésia, do distrito e freguesia de Cajobi na comarca de Olímpia.

Comentários