Municipais terão 4,91% de reajuste ‘por antecipação’

 

 

Os funcionários públicos do município de Olímpia terão seus salários reajustados em 4,91% neste mês de fevereiro, índice menor que a inflação do ano passado, que ficou em 5,91%. O salário, que está sendo pago nesta sexta-feira, 28, vem com a correção do índice retroativo a janeiro. Ou seja, os municipais recebem hoje, quase 10% a mais em seus salários – 9.82% com o acumulado. Os “promovidos”, no entanto, terão 15.82% em seus salários, neste mês.

 

O prefeito Geninho (DEM) havia garantido na semana passada, que o reajuste neste mês já seria pelo menos a correção da inflação (5,91%), porém o percentual ficou 1% menor do que o prometido. Segundo o secretário de Governo, Paulo Marcondes, isto aconteceu devido a um equívoco do prefeito durante sua fala na entrevista concedida à Rádio Espaço Livre AM.

 

“A correção da inflação será aplicada aos salários de todos os funcionários, mas não neste mês de fevereiro. Pode ser que o índice de reajuste seja até maior que o índice inflacionário e chegue nos 6,5% pedido pelos funcionários. Estamos fazendo os cálculos para sabermos o que podemos gastar com a folha de pagamento deste ano”, comentou.

 

Marcondes explica também que este índice será aplicado no salário deste mês, retroativo a janeiro, para equiparar o piso dos municipais ao salário mínimo nacional, que hoje é de R$ 724, e o piso da prefeitura hoje está em R$ 704.

 

“As negociações com o Sindicato continuam no mês de março e seja qual for o índice de reajuste aprovado, os funcionários receberão a correção inflacionária e a diferença do percentual também será retroativo a janeiro”, concluiu Marcondes.

 

‘INSULTO’
O vereador Hilário Ruiz (PT), em pronunciamento segunda-feira na Câmara, durante sessão ordinária, classificou a proposta do prefeito à categoria dos municipais de “insulto”, considerando os índices anunciados. “Está claro que não é a última proposta”, disse. “Temos que discutir no mínimo o piso salarial (por enquanto)”, cobrou, lembrando a defasagem entre o piso municipal e o salário mínimo – de R$ 20 a menos.

 

“Se no ano passado foi feita uma reestruturação tributária e se espera de R$ 10 milhões a R$ 15 milhões a mais em arrecadação, é preciso repensar também a situação salarial do funcionalismo. Os servidores são muito cobrados, mas na hora de uma discussão séria sobre, por exemplo, gratificação de insalubridade, plano de saúde e outros benefícios, não se discute”, completou.

Comentários