MPF investiga licitações de Olímpia

Fonte: www.diarioweb.com.br

 Segundo matéria publicada no Diário da Região, de São José do Rio Preto, no último domingo, 14, o Ministério Público Federal instaurou pelo menos 65 procedimentos para investigar suposta fraude em licitações em prefeituras na região de Rio Preto para beneficiar a chamada Máfia do Asfalto. Em maio, o procurador da República de Rio Preto Eleovan Mascarenhas instaurou inquérito civil para apurar possíveis irregularidades nos contratos de recapeamento e pavimentação asfáltica entre a empresa Demop e a Prefeitura de Rio Preto. 

O procurador da República de Jales, Thiago Lacerda Nobre, também abriu 58 procedimentos para investigar licitações que tiveram a participação de empresas ligadas ao Grupo Scamatti. Além de Rio Preto, entre os outros municípios que têm contratos investigados estão: Jales, Dolcinópolis, São João de Iracema, Fernandópolis, Santa Rita D’Oeste, Pontalinda, Mirassol, Ibirá e Olímpia. 

O MPF apura a aplicação de verbas federais liberadas mediante convênios entre os municípios e os ministérios do Turismo e das Cidades. A suspeita é de que as licitações eram direcionadas para as empresas do Grupo Scamatti. Nobre já ingressou com ação penal na Justiça Federal de Jales contra 19 pessoas acusadas de participar de esquema para fraudar licitação em Auriflama. O grupo foi acusado pelos crimes de formação de quadrilha e fraude. Entre os denunciados estão os proprietários e funcionários da Demop Participações, Scamatti & Seller e Miotto & Piovesan, funcionários públicos, além do ex-prefeito de Auriflama José Jacinto Alves Filho (PSDB). 

Gaeco 

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) de Rio Preto também apura fraude em licitações nas prefeituras a partir de convênios assinados pelo governo do Estado. Além da investigação criminal, o Gaeco encaminhou provas das possíveis fraudes para os promotores de Justiça da região. A docvumentação foi coletada durante a operação Fratelli realizada em parceria com o MPF e a Polícia Federal (PF) em abril deste ano. 

Até o momento foram instaurados 13 inquéritos civis para investigar licitações que tiveram a participação das empresas do Grupo Scamatti. Já foram abertos inquéritos civis nas cidades de Paulo de Faria, Riolândia, General Salgado, Ilha Solteira, Neves Paulista, Macedônia, Promissão, Marapoama, Palestina, Macaubal, Sebastianópolis do Sul, Mirassol e Ibitinga. 

 

Comentários