Mesa da Câmara foi formada com votos e aliados de Geninho

Niquinha foi eleito presidente com seis dos dez votos possíveis, tendo Marcão Coca como vice, Pimenta como 1º secretário e Luiz do Ovo como 2º secretário

Nova mesa diretora

A Mesa diretora da Câmara Municipal da Estância Turística de Olímpia para o biênio 2019-2020 eleita na noite de segunda-feira passada, 10 de dezembro, não restam dúvidas surpreendeu a todos que tem acompanhado, nos últimos dias, os entreveros políticos havidos na cidade. Estes vão se lembrar, por exemplo, que em sua mais recente bravata, o prefeito Fernando Cunha (PR) foi enfático ao afirmar que, para a Mesa da Câmara, não apoiaria, em hipótese alguma, candidato de sua base que fosse lhe pedir aval, “com votos do Geninho”.

No entanto, passados os dias e ele não só aceitou os “votos do Geninho”, como o próprio deputado federal eleito representado na Mesa diretora, nas figuras de Luiz Gustavo Pimenta (PSDB) e Luiz Antonio Ribeiro, o Luiz do Ovo (DEM). Esta negociação de bastidores foi urdida silenciosamente, conforme o Planeta apurou, e consta que Cunha não teria se sentido melindrado, pelo contrário, a junção teria sido também de seu agrado e contado com sua articulação.

Quem se sentiu traído foi o vereador Hélio Lisse Júnior (PSD), que articulava sua candidatura, e na impossibilidade articulou com Flávio Augusto Olmos (DEM), mas ambos foram barrados por Cunha. Também Fernando Roberto da Silva, o Fernandinho (PSD), outro da base de Cunha, foi barrado pelo prefeito, estranhamente, entre outras coisas, por dizer a ele que contaria com “votos do Geninho”.

Lisse atribui toda a artimanha para a formação desta Mesa à “inteligência política” do ex-prefeito. “Ele deu o drible da vaca no Cunha”, comentava ele esta semana. Porém, tanto Niquinha quanto Pimenta, bem como Marcão Coca, garantem que foi uma “amarração” muito bem pensada e levada a efeito sob igual consenso de ambos os políticos.

Na segunda-feira, os vereadores elegeram Antônio Delomodarme, o Niquinha (Avante) presidente da Mesa Diretora para o biênio 2019-2020. Além dele, foi eleito vice-presidente Marco Antônio Parolim de Carvalho, o Marcão Coca (PPS), enquanto para a primeira secretaria a escolha recaiu sobre Gustavo Pimenta, atual presidente da Casa. Luiz do Ovo foi eleito segundo secretário.

Niquinha recebeu seis dos 10 votos possíveis, uma vez que seu colega Hélio Lisse Júnior (PSD) votou em si mesmo e recebeu votos de Fernando Roberto da Silva, o Fernandinho (PSD) e Flávio Augusto Olmos (DEM) para presidente. E José Elias de Morais, o Zé das Pedras (PR), votou também em si mesmo para o cargo principal da Mesa Diretora.

Já Marcão Coca foi eleito vice-presidente com os votos de oito de seus colegas, já que, mais uma vez, Hélio Lisse votou em si mesmo e recebeu o voto para o cargo de Fernandinho Silva.

Pimenta, atual presidente, foi eleito primeiro secretário com sete dos 10 votos declarados porque, também para este cargo, Lisse votou em si e recebeu o voto de seu colega de partido, Fernandinho. Já Flávio Olmos preferiu votar em seu parceiro do DEM, Luiz do Ovo, que na verdade era candidato a segundo secretário.

A votação foi fechada com a eleição de Luiz do Ovo para o quarto cargo da Mesa Diretora, sendo ele o mais votado dos quatro, já que recebeu nove votos, exceção feita a Fernadinho, que, de novo, votou em Hélio Lisse.

Ou seja, os votos inteiramente destoantes foram de Fernandinho, que não escolheu nenhum dos eleitos, votando as quatro vezes em Hélio Lisse. Este, por sua vez, votou três vezes em si mesmo e somente na votação para segundo secretário votou em Luiz do Ovo. Da lista de eleitos, Flávio Olmos só declarou voto em Marcão Coca e duas vezes em Luiz do Ovo (para 1º e 2º secretário). Não votou em Niquinha para presidente, nem em Pimenta para 1º secretário.

José Elias de Morais, por sua vez, só não votou em Niquinha para presidente, mas nos demais cargos respeitou os nomes propostos. Os demais vereadores -João Magalhães (MDB), Luiz Antônio Moreira Salata (PP), Marcão Coca, Niquinha e Pimenta- seguiram à risca a sequência de nomes postos para os cargos à Mesa.

A nova Mesa Diretora assume já no primeiro dia de janeiro 2019, mas presidirá sessões a partir da primeira segunda-feira de fevereiro, quando retornam os trabalhos legislativos. Se houver sessão extraordinária ainda antes do fim de dezembro, esta será presidida pela atual Mesa Diretora.

Comentários