IAMSPE pode voltar a atender Olímpia

Proposta é de conveniar e pagar médicos e laboratórios diretamente; num segundo momento, entraria a Santa Casa

 

O Instituto de Atendimento Médico ao Servidor Público do Estado-IAMSPE poderá voltar a prestar atendimento aos cerca de cinco mil conveniados que a cidade possui, segundo estimativas não-oficiais divulgadas pelos vereadores Beto Puttini (PTB) e Alcides Becerra Canhada Júnior (PDT), que estão intermediando o assunto. Na semana passada estiveram reunidos com representantes do órgão, em São Paulo, e dizem acreditar num resultado positivo.

Na quarta-feira da semana passada eles foram recebidos na capital pelo superintendente Latif Abrahão, em audiência técnica, onde souberam que lá não havia nenhuma informação sobre a situação de Olímpia. “E não havia nenhuma demanda do município”, disse Puttini. Olímpia possui, hoje, segundo Becerra, somente na área da Educação, cerca de 1,3 mil usuários, sendo que só os professores seriam em torno de 1,2 mil.

O convênio atenderia ainda funcionários do Fórum, das delegacias e outros órgãos estaduais.

“No total poderia se alcançar cerca de cinco mil usuários”, segundo ainda Puttini. Este contingente de olimpiense busca atendimento em cidades da região, como Rio Preto ou Barretos, mas enfrentam problemas na hora da internação aqui na cidade, já que a Santa Casa não é conveniada.

O convênio IAMSPE hoje prevê dois níveis de atendimentos: via consultórios médicos e laboratorial, direto nas clínicas, e por meio de parceria com as Santas Casas. Para os dois primeiros modelos, os vereadores veem todas as possibilidades de implantação em um tempo pequeno, talvez ainda neste ano. Já para o segundo modelo, a situação fica um pouco mais complicada.

É que, antes, por meio de convênios com Santas Casas, a situação ficava comprometida porque os médicos acabavam não recebendo os valores que eram repassados aos hospitais, e rompiam o contrato, inviabilizando atendimento naquela localidade. “Por isso que, agora, a proposta é fazer o pagamento para os médicos e laboratórios, diretamente”, disse Puttini.

Comentários