Hoje tem campanha contra o câncer de pele

Na edição do ano passado 10,42% dos examinados tiveram diagnóstico da doença

 

A Sociedade Brasileira de Dermatologia realiza hoje, em Olímpia, até às 15 horas, a Campanha Nacional de Prevenção ao Câncer de Pele, com exames gratuitos no Centro de Saúde (“Postão”). A campanha, que vem sendo realizada na cidade há nove anos, tem o objetivo de diagnosticar casos da doença e encaminhar os pacientes para tratamento ou acompanhamento. Devem fazer o exame pessoas com lesões suspeitas, pele muito clara ou com muitas pintas. No ano passado, de 407 examinados, cerca de 40 apresentaram a doença.

O exame preventivo é necessário, segundo a dermatologista Solange Benatti Murad, porque geralmente passam despercebidos os casos mais graves nas pessoas. “Elas só nos procuram quando a lesão sangra muito”, cita um exemplo. Casos suspeitos são pintas que mudam de cor na mão, no pé, com coceira etc. Os 10,42% de casos detectados com câncer de pele em Olímpia, no universo de 407 pessoas avaliadas, “está dentro do normal” da Sociedade Brasileira de Dermatologia, ela diz.

O objetivo é que as pessoas, nestes casos, façam um tratamento resolutivo. “Se for lesão pré-cancerosa, faz-se uma aplicação no local com nitrogênio líquido e depois acompanha a evolução do paciente. Se for um caso confirmado, mas de pequeno porte, faz-se uma cirurgia no próprio local (“Postão”). Agora, se for caso mais grave, encaminhamos para o Hospital Pio XII”, explica Solange.

PROTEÇÃO NATURAL

Os casos de câncer de pele em 70% das vezes são ocasionados por exposição solar, mas também podem surgir em áreas cobertas do corpo. Por isso que os exames preventivos não são recomendados exclusivamente para quem tem pele branca. “É que a pele branca é mais suscetível”, observa a dermatologista. “A Pele mais morena já tem a proteção natural, mas pode ter incidência em áreas cobertas do corpo”, complementa.

Este ano o trabalho preventivo será realizado por três profissionais, além de Solange também estarão atendendo as dermatologistas Nely Spegiorim Rímoli e Bruna Somílio. “Colegas de outras especialidades estarão nos ajudando na triagem e os casos diagnosticados serão encaminhados para nós”. Por isso, Solange diz que não deverão passar de 400 ou pouco mais do que foi atendido ano passado, quando tinha um dermatologista a mais.

“As pessoas devem ir mais cedo”, recomenda. O atendimento estava previsto para começar às 9 horas, se estendendo até às 15 horas. Mas as senhas serão entregues até por volta das 13 horas. “Não vai dar para atender muito mais que 400 pessoas”, observa Solange.

Comentários