Grupos parafolclóricos terão hospedagens pagas em hotéis e pousadas

Serão cerca de 500 diárias, negociadas com os estabelecimentos hoteleiros em R$ 12 por pessoa, com cama e banho; refeições à parte custarão à Comissão mais R$ 175 mil

Os grupos parafolclóricos em sua quase totalidade, a partir desta edição do Festival do Folclore de Olímpia, não ficarão mais alojados em escolas públicas, como vem ocorrendo há 54 anos. O secretário Selim Jamil Murad, do Turismo, anunciou na Câmara de Vereadores, na segunda-feira passada, 1º de julho, que a partir desta 55ª edição, eles ficarão hospedados em hotéis e pousadas da cidade, liberando os estabelecimentos de Ensino e proporcionando maior conforto àqueles que ele chama de “artistas”.

Para tanto, os vereadores aprovaram por unanimidade o projeto de Lei nº 5.501/2019, avulso nº 91/2019, tratando sobre abertura de crédito suplementar no valor de R$ 50 mil para custeio destas hospedagens. O documento já foi transformado na Lei 4.467/2019, de 3 de julho, publicada na edição do Diário Oficial Eletrônico desta quinta-feira, dia 4.

Interessante notar que o dinheiro liberado em favor da Secretaria municipal de Cultura, Esporte e Lazer, será transferido para a Associação de Capoeira “Raízes de Olímpia”, cujo principal criador e mentor é o mestre Zé Cocão, funcionário comissionado da atual administração.

Nesta mesma edição do Doe, foi publicado um Termo de Fomento transferindo R$ 200 mil para esta mesma Associação. A entidade de Zé Cocão já havia recebido antes, por meio da Lei 4.450, de 24 de abril de 2019, outros R$ 150 mil, resultado também de abertura de crédito suplementar.

O projeto de Lei em regime de urgência para abertura de crédito suplementar foi aprovado por unanimidade na Câmara, mas não sem antes o secretário, que estava presente à sessão, ser questionado por vereadores da bancada independente. O vereador Flávio Olmos, do DEM, por exemplo, perguntou: “São R$ 50 mil para pagar hospedagem dos grupos. É para todos os grupos ou somente alguns? Já se sabe em quais hotéis e pousadas ficarão, se haverá oportunidade para todos, e se já estão definidos os estabelecimentos?

O presidente da Casa, Antonio Delomodarme, o Niquinha (Avante) optou por quebrar o protocolo da sessão para que Selim Murad pudesse responder: “Fizemos reunião com todos os hoteleiros. Fechamos em R$ 12 por pessoa. São 500 diárias. Vão dormir e tomar banho, até com a finalidade de gerar receitas para estes estabelecimentos, neste período de baixa temporada”.

De acordo ainda com Murad, “o dinheiro que ia ser gasto com colchões, vamos usar nas hospedagens. Teríamos que comprar, no mínimo, 400 a 500 colchões. Podemos gastar não só R$ 50 mil, mas até R$ 60 mil com estas hospedagens, mas só com colchões gastaríamos R$ 80 mil”, completou. O secretário de Turismo garantiu que não há hotel específico ou pousada específica, “não privilegiamos nenhum estabelecimento”. “Todos foram contemplados. Sai um grupo, entra outro”, conforme eles vão indo embora e outros chegando, segundo o secretário.

No entanto, ao que parece os grupos gaúchos serão os mais privilegiados, uma vez que virão três para o Festival, e eles costumam ficar a semana toda. Também outros grupos parafolclóricos do sudeste e norte/nordeste costumam ficar a semana toda. Os grupos folclóricos, propriamente ditos, pela tradição chegam no domingo de encerramento, pela manhã, e após o desfile de encerramento se alimentam e vão embora.

MAIS R$ 212,8 MIL PARA REFEIÇÕES
E LOCAÇÃO DE ESTRUTURAS
Além dos montantes acima, o Doe trouxe publicados na edição desta quinta-feira, dois extratos de contrato dando conta de gastos da ordem de R$ 212,8 mil, com contrações de empresas para fornecimento de alimentação e locação de estruturas. As publicações não especificam serem gastos referentes ao Festival do Folclore, dizem apenas que são “para realização de evento no município”.

Uma das contratadas é a já conhecida da cidade, Ivair M. Dias Organizações de Festas e Eventos – ME, cujo objeto da contratação é “prestação de serviço de fornecimento de refeições (café da manhã, almoço e jantar) para realização de evento no município de Olímpia”, no valor de R$ 175 mil, resultado do Pregão Presencial nº 53/2019, contrato n° 54/2019.

A segunda contratada é a também já conhecida dos munícipes, Bandeira Eventos e Participações EIRELI- ME, cujo objeto da contratação é para “locação de estruturas para realização de evento do município de Olímpia”, com o valor de R$ 37,8 mil, resultado do Pregão Presencial nº 54/2019, contrato n° 55/2019.

Comentários