Governo comemora Centro de Acolhimento Animal, mas rede social não poupa críticas

O canil será entregue na próxima quarta-feira, dia 13. Receberá o nome de Centro de Acolhimento Animal “São Francisco de Assis”

Centro de Acolhimento

“Mais uma vez vem acontecer a minha proibição de rever os cachorros no Centro de Acolhimento da Daemo Ambiental. Semana passada me comunicaram que não era permitido que eu levasse salsicha, sendo que eles sempre comeram algo diferente e eram apenas dois quilos para dividir entre os 70 amiguinhos que se encontram lá”. Assim começou o martírio do governo municipal em relação ao canil municipal. A partir daí foi uma profusão de críticas, incluindo um texto ainda maior de Sidney Bueno, o dono das linhas críticas acima.

O oba-oba governamental foi assim expressado: “RESPONSABILIDADE E CUIDADO COM OS ANIMAIS!  A atual gestão retomou e concluiu as obras do Centro de Acolhimento Animal, que estava abandonado e não conseguia atender a demanda. Agora, os bichinhos terão um espaço adequado com baias, áreas abertas e cobertas, lazer, refeição e higiene! O local oferecerá ainda um ambulatório para tratamento e pequenos procedimentos. Tudo executado e aprovado pelo Conselho Regional de Medicina Veterinária”.

O canil será entregue na próxima quarta-feira, dia 13. Receberá o nome de Centro de Acolhimento Animal “São Francisco de Assis”. Está localizado na Estrada Municipal “Vitório Celso Cizotto”, e foi planejado para acolher animais abandonados, visando ampliar e melhorar o atendimento à causa animal no município. O local é composto por 36 baias com capacidade para abrigar até 100 animais.

O Centro conta ainda com um ambulatório com salas para higienização, atendimento, curativos e anamnese, além de sala cirúrgica para pequenos procedimentos e de repouso para animais debilitados ou em tratamento. No local serão acolhidos apenas os animais resgatados das ruas pela própria Daemo, que não tenham tutores e que estejam em situação de risco, vítimas de maus tratos, doentes ou acidentados.

Depois, vem a explicação: “Atendendo orientação do Conselho Regional de Medicina Veterinária, não são permitidas visitas ao local. Segundo a Daemo Ambiental, a medida se dá por questões sanitárias e visa também reduzir o estresse dos animais”.

Mas, a internauta Maria Fernanda Volpe não perdoou: “Pela matéria entende-se que os animais estão protegidos. Digo estão, pois apesar da inauguração ser apenas na semana que vem, temos conhecimento que muitos já estão abrigados lá. Porém, como cidadã de Olímpia, gostaria de saber se as denúncias que foram feitas entre ontem e hoje procedem. Acho pertinente um posicionamento e esclarecimento do órgão sobre isso. Espero por uma resposta, tendo em vista que não teremos acesso ao local para constatarmos pessoalmente. Desde já agradeço e parabenizo pelo local, que realmente esperamos que priorize o bem estar animal”.

A Daemo Ambiental então responde a ela: “O Centro de Acolhimento foi construído justamente para ser um local melhor e mais adequado para os animais, tendo em vista as condições dos espaços anteriores. Lá, eles estão sob cuidado de profissionais e possuem um ambiente apropriado, higiênico e confortável. Tudo pensado para o bem-estar. O local não é aberto ao público devido às normas de vigilância, mas quem tiver interesse em visitar, pode agendar previamente no setor responsável. Basta procurar a DAEMO Ambiental para mais informações. Estamos todos trabalhando juntos nesta causa! Conte com a gente”!

Vanessa Ventola entra na conversa: “Pessoal, infelizmente a realidade não é bem essa. Procurem se informar, ir visitar o local. Os animais estão sob o sol, não tem nenhuma sombra para eles se protegerem do sol. Nunca que num lugar desses um animal vai estar bem cuidado como estão querendo passar por essas fotos q postaram. Vão lá e provem por vcs mesmos”, disse ela.

Já a internauta que assina RoTiagoAraujo disse: “Como as pessoas vão ser incentivadas a adotar se não é aberto ao público? Até pra isso agora vai ter hora marcada? Qual a diferença se a visita é agendada ou não para a questão sanitária?”

Comentários