Geninho ‘infla’ valores de repasse ao hospital

Ele disse ter aumentado ‘em 62%’, mas dinheiro seria pagamento de serviços

 

O prefeito Geninho (DEM), visando amenizar a grave crise que se abateu sobre a Santa Casa de Misericórdia de Olímpia, fez anunciar esta semana que “a partir do próximo mês, e durante os próximos dez meses”, o hospital estará recebendo R$ 118 mil mensais de repasse da prefeitura que, somados a outros R$ 32 mil que paga ao Hospital do Olho, chegaria a R$ 150 mil mensais, “exatamente o que foi prometido em campanha eleitoral”, segundo disse.

 

Porém, a verdade é outra. Primeiro, que o montante a ser repassado não seria exatamente para despesas correntes do hospital. Segundo informações de fontes do setor, estes R$ 45 mil pagariam serviços que a Secretaria Municipal de Saúde teria “comprado” dos médicos Nilton e Fábio Martinez, para a realização de cirurgias eletivas na Santa Casa. O repasse, de fato, permaneceria em R$ 73 mil mensais.

Segundo, que os R$ 32 mil, conforme ele mesmo afirma, são para custear parte dos gastos com o Hospital do Olho, e não para uso da Santa Casa. Quem recebe este montante é o oftalmologista Guilherme Kiil Júnior, para a realização dos mutirões de catarata. Deste valor ele destina 6% para o hospital, ou seja, R$ 1,29 mil, o que segundo fontes do setor, não cobre sequer a conta de energia elétrica.

 

E, terceiro, ele não prometeu na campanha repassar R$ 150 mil para o hospital. Prometeu, no total, R$ 200 mil por mês. Portanto, “mais R$ 150 mil” além dos R$ 50 mil que o hospital recebia em 2008. E prometeu, também, “apoiar constantemente a Santa Casa”, o que não vem acontecendo, conforme a realidade vem demonstrando.

 

CÂMARA
A autorização para o repasse de R$ 450 mil em dez meses foi aprovado na sessão ordinária de segunda-feira, 25, da Câmara Municipal, por meio de projeto de lei que dispõe sobre suplementação de dotação orçamentária para diversas áreas da administração, entre elas a Saúde. No final da gestão passada, a Santa Casa recebia R$ 50 mil. Quando o prefeito Geninho assumiu, em 2009, o hospital passou a receber R$ 61,5 mil, que já constava do Orçamento feito na gestão anterior, e depois, em 2010, a verba passou para R$ 73 mil. O Orçamento de 2001, aprovado no final de 2010, não contemplou a Santa Casa.

 

Por meio de veículos de informação atrelados ao seu governo, Geninho divulga números percentuais e valores “inflados” para justificar a inércia. Diz que, em dois anos e meio, praticou reajuste de 136% nos repasses à Santa Casa, “saltando de R$ 50 mil para R$ 118 mil, sem contar os R$ 32 mil da oftalmologia”.

E mais: disse que agora, com os R$ 450 mil aprovados, o repasse “dará um salto de mais R$ 45 mil mensais, ou seja, mais 62%, resultando em R$ 118 mil para a Santa Casa”. Mas, afinal, seu líder na Câmara, vereador Salata (PP), acaba “traindo” a estratégia ao dizer, na Câmara, que os R$ 32 mil que o Hospital do Olho recebe, vem “por convênio federal”.

Comentários