Geninho cria ‘Secretaria’ com oito cargos

Órgão que será responsável por captação de recursos, custará R$ 25,1 mil por mês

 

 

A Câmara de Vereadores irá votar logo mais à noite, em regime de urgência, ou seja, deliberando e votando numa só sessão, o projeto de Lei 4.494, dispondo sobre a criação do Escritório de Captação de Recursos-ECR, um órgão que terá status de Secretaria. Também nesta mesma sessão será votado, em primeiro turno, o projeto de Lei Complementar 152/2013, criando nada menos que oito cargos para este mesmo órgão. O ECR terá um custo mensal para os cofres públicos de R$ 25.113,43 por mês.

Estes cargos passarão a fazer parte do Anexo I da Lei Complementar 52, de 22 de fevereiro de 2008. Todos eles serão preenchidos em caráter de comissão, ou seja, de livre nomeação e exoneração do prefeito.

Um dos cargos, de Diretor do Escritório de Captação de Recursos-ECR, terá status de secretário, com vencimentos de R$ 7,3 mil. Outros dois cargos terão a denominação de Assessor de Secretaria, com vencimentos de R$ 3.097,99. Ambos exigindo nível superior para o preenchimento. Serão criados ainda mais cinco cargos, de Assessor Especial, com vencimentos de R$ 2.323,49, com exigência de ensino médio completo.

Ou seja, um gasto total, ao final do mês - caso passe a funcionar com todo o corpo funcional contratado em março -, de R$ 25.113,43 por mês, totalizando R$ 251.134,30 no final do ano, não computando 13º e outras despesas. Os dois Assessores de Secretaria, na referência T3.7 vão custar R$ 6.195,98 por mês, enquanto os cinco Assessores Especiais, na referência T3.5, vão custar R$ 11.617,45 somados, por mês.

Além disso, o ECR terá uma Diretoria de Divisão e uma Chefia de Setor, cada um dos nomeados com direito a, respectivamente, R$ 560 e R$ 340 a título de “Gratificação de Função”. Ou seja, mais R$ 9 mil acrescidos aos gastos já relacionados acima, até o final do ano, contado a partir de março.

Comentários