Família nega ter levado crack para paciente da UTI

Enfermeira encontrou a droga na boca de homem internado com traumatismo craniano

 

Durante uma participação no programa “Show da Manhã”, apresentado pelo radialista Valter Carucce, na Rádio Difusora AM, familiares de César de Souza Rocha, de 37 anos, internado na Unidade de Tratamento Intensivo-UTI, da Santa Casa de Misericórdia de Olímpia com traumatismo craniano, se declararam surpresos com a informação e com o fato da suspeita da pedra de crack, encontrada em sua traquéia por uma enfermeira, ter chegado a ele durante visita que fizeram no interior da UTI. A informação foi divulgada com base no boletim de ocorrência da PM.

 

Uma cunhada do paciente, que se identificou como Daniele Cristina Gonçalves, afirmou que “esse negócio de achar a droga na boca dele e falar que recebeu visitas de familiares, numa hora dessas, que estamos desesperados com a situação em que ele está na Santa Casa, desacordado, todo amarrado, parecendo um cachorro, fere a família dele”.

 

Segundo ela, “não é nenhum estranho para estar divulgando que foi a visita que levou isso para ele. A gente não sabia de nada disso daí, a gente ficou sabendo ontem que avisaram que saiu da boca dele”, protestou a cunhada. Também segundo a declaração de Daniele Cristina Gonçalves, até então somente duas pessoas estiveram com o paciente na UTI: a irmã e a esposa.

 

O FATO
A enfermeira da Santa Casa de Olímpia Juliana Cristina Viana, de 28 anos, se surpreendeu na manhã de segunda-feira, 17, ao encontrar uma pedra de crack na traqueia do paciente internado na UTI do hospital. A Polícia agora investiga como o entorpecente foi parar lá.

 

César de Souza Rocha foi internado na noite do sábado, 14, com traumatismo craniano, após sofrer um acidente de moto na Avenida Bartolomeu Íttavo, no São Francisco. Ele passou por exames e foi encaminhado à UTI, onde a auxiliar de enfermagem percebeu que ele tinha um invólucro de alumínio dentro da boca enquanto fazia a higiene do paciente. A direção do hospital registrou boletim de ocorrência e agora a Polícia investiga o caso.

 

O paciente recebeu visita no dia anterior. Agora, a polícia investiga se a droga já estava com ele ou se alguém a levou após a internação. A direção do hospital disse que apenas cumpriu com o procedimento administrativo ao informar a existência da droga à polícia.

 

De acordo com o que o provedor da Santa Casa, Mário Francisco Montini disse à imprensa regional, a substância foi encontrada durante a higiene bucal do paciente. “Como ele está meio inconsciente devido ao trauma sofrido e ao coágulo formado na cabeça, a higienização bucal é um procedimento padrão. No momento da limpeza, a porção de entorpecente foi encontrada pela enfermeira”, explicou.

 

ESPAÇO DO DENTE

Montini disse que ainda não tem informações sobre como a droga foi parar na boca do paciente. Também ainda não é possível determinar se o homem regurgitou ou se a porção de entorpecente estaria escondida no espaço de um dente que está faltando em sua boca. Segundo Montini, o paciente foi submetido a exames radiográficos para verificar a suspeita de existir mais alguma substância escondida no organismo, mas nada foi encontrado.

 

O provedor afirmou que espera uma solução do caso após o paciente recuperar a consciência. De acordo com a polícia, o exame do material deve ser concluído em aproximadamente 20 dias.

Comentários