Executivo prevê investir 67,54% menos em 2016

Índice consta de relatório elaborado e divulgado por consultoria que realizou audiência pública na Câmara segunda-feira

O Executivo Municipal, de acordo com valores apresentados na Audiência Pública realizada na Câmara de Vereadores segunda-feira passada, 18, prevê investir na cidade, em 2016, 67,54% menos do que estaria investindo ou ainda irá investir este ano. Isto representaria R$ 21 milhões a menos em obras de infraestrutura, basicamente – caindo de R$ 31,1 milhões para R$ 10,1 milhões. Já a Câmara Municipal e a Daemo Ambiental preveem investir em 2016, respectivamente 6% e 14,7% a mais no ano que vem. No cômputo geral, os investimentos ficarão 63,10% menores – caindo de R$ 32,9 milhões para R$ 12,15 milhões. 

 Quanto à previsão de recursos, a “fonte” não jorrará muito positivamente para o Executivo, já que em termos de convênios (com Estado e União) tem previsão de queda em torno de 25,19%- caindo de R$ 65,5 milhões, para pouco mais de R$ 49 milhões. Porém, em termos de recursos próprios (arrecadação com impostos e taxas), a estimativa é mais positiva, em torno de 25,7% acima da estimada para este ano– saltando de R$ 82,1 milhões, para R$ 103,22 milhões. Mas, no final das contas, as fontes de recursos ficarão apenas 3,12% acima do esperado para 2015 – um salto de R$ 147,6 milhões para R$ 152,2 milhões.

Outro dado a ser observado nos números mostrados e analisados pela Ábacus, dá conta de que a folha de pagamento da prefeitura municipal ficará 7,88% acima da que é paga este ano, indo de R$ 61,4 milhões para R$ 66,2 milhões. A Câmara pagará mais 6% - de R$ 1,97 milhão para pouco mais de R$ 2 milhões. A Daemo Ambiental, por sua vez, terá uma folha 8,13% maior, passando dos atuais R$ 4,24 milhões para R$ 4,59 milhões.

Sobe também a folha do Instituto de Previdência dos Servidores Públicos de Olímpia, em 5,92% - de R$ 3,9 milhões para R$ 4,1 milhões. Na somatória, as folhas de pagamento ficarão 7,74% mais caras em 2016, saltando de R$ 71,6 milhões para R$ 77,1 milhões.  Sobem também as subvenções bancadas pelos Cofres Públicos em 14,40% na somatória – de R$ 2,6 milhões para R$ 2,97 milhões, dos quais 14,91% sairão de recursos próprios – R$ 2,742 milhões, e 8,47% de convênios – R$ 233,9 milhões.

A Santa Casa de Misericórdia de Olímpia ficará com a fatia maior – R$ 960 mil, 45,45% acima do valor estipulado para este ano – R$ 660 mil. Outras entidades terão acréscimos em torno de 4,5% para menos, exceto Associação Olimpiense de Letras e Liga Olimpiense de Futsal que terão, respectivamente, 6% e 5% mais verbas, embora em índices baixos – a primeira, indo de R$ 5 mil para R$ 5,3 mil, e a segunda, de R$ 2 mil para R$ 2,1 mil. O Abrigo São José aparece com aumento substancial em subvenções por convênio, com 19,78% a mais ano que vem, indo dos atuais R$ 92,4 mil para R$ 110,6 mil.

Comentários