Estância cai no ‘Município Verde/Azul’ para a 140ª posição

Olímpia não será certificada com queda nos índices, o que indica nenhuma preocupação com os quesitos exigidos pelo programa do Governo do Estado

O Município da Estância Turística de Olímpia não receberá este ano o Certificado Município Verde/Azul concedido pelo Governo do Estado àquelas cidades que se destacam dentro dos quesitos constantes do programa criado em 2007, e do qual Olímpia passou a fazer parte a partir de 2009.

O índice de queda na avaliação dos quesitos foi algo extraordinário, já que em 2017 estávamos na 77ª posição, com nota total de 71,73, valor que já não conferia à cidade o Certificado, e agra a Estância despencou para a 140ª posição, com nota média de 52,29.

Os dados foram divulgados nesta quinta-feira, 20 de dezembro. Estes números obtidos pela Estância neste ano indicam que a cidade acaba de se inserir no rol daquelas que aparentemente dão pouca ou nenhuma importância a questões como meio ambiente, qualidade do ar, uso do solo, tratamento de esgoto, sustentabilidade, trato dos resíduos sólidos, biodiversidade, arborização urbana, etc, que são os itens avaliados.

No quesito Gestão de Águas, como resultado de uma política de longo prazo adotada pelo governo passado, Olímpia ainda está bem colocada, e deve receber o “Prêmio Governador Franco Montoro”, dentro dos municípios melhor colocados na Bacia do Turvo Grande, no quesito Unidade de Gerenciamento de Recursos Hídricos-UGRHI, já que permaneceu na 14ª posição, com nota 68,44.

A Estância já havia registrado queda nos índices apurados no ano-fase 2017, em relação a 2016, passando de 81,67 para 71,73, respectivamente, colocando Olímpia na 77ª posição entre os demais de todo o Estado, o que indica ser uma tendência da atual administração municipal negligenciar ações tão importantes e fundamentais para garantir qualidade de vida aos munícipes.

A somatória das notas finais do município no “Programa Município Verde e Azul”, mostra que em 2009, primeiro ano de sua participação, Olímpia alcançou 83,19; em 2010, alcançou 72,95; em 2011, 80,64; em 2012, 78,42; já em 2013, teve grande queda, indo a 58,00; em 2014 teve breve recuperação, indo a 68,79, subindo mais ainda em 2015, para 80,78, depois em 2016 a 81,67, quando começou a declinar, indo para 71,73 em 2017, para despencar vertiginosamente em 2018 para 52,29, índice menor ainda que o pior índice obtido na gestão Geninho Zuliani.

Para receber o “Certificado Município VerdeAzul”, Olímpia tinha que ter atingido a nota superior a 80 pontos e ter preenchido os requisitos pré-definidos para cada Ciclo, e ao Interlocutor respectivo (pessoa responsável no  município por articular as ações do programa). Este Certificado reconhece a boa gestão ambiental municipal e garante à prefeitura premiada preferência na captação de recursos do Fundo Estadual de Prevenção e Controle da Poluição (FECOP).

Já o “Prêmio Governador André Franco Montoro” é concedido aos municípios melhores colocados no Ranking em cada uma das Unidades de Gerenciamento de Recursos Hídricos – UGRHI’S. Trata-se de uma homenagem ao criador do Conselho Estadual do Meio Ambiente – CONSEMA, embrião da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e defensor da descentralização administrativa e fortalecimento dos municípios.

HISTÓRICO
A Secretaria de Estado de Meio Ambiente lançou em 2007 o “Programa Município Verde Azul”. Este programa visa à estimulação e a capacitação das prefeituras em criar uma agenda ambiental estratégica.

Em 2009, foi assinada a adesão da Estância Turística de Olímpia a esse programa. Todos os anos são lançados desafios a serem cumpridos em 10 diretivas: Esgoto Tratado, Resíduos Sólidos, Biodiversidade, Arborização Urbana, Educação Ambiental, Gestão das Águas, Qualidade do Ar, Cidade Sustentável, Estrutura Ambiental e Conselho Ambiental.

Cada diretiva vale 10 pontos, sendo distribuídos através de vários itens a serem cumpridos no município, totalizando 100 pontos. Para ser certificado nesse programa, o município precisa ter uma pontuação de, no mínimo, 80 pontos, sendo que não tenha atingido menos de 5 pontos em nenhuma diretiva.

A cada ano as exigências são modificadas fazendo com que os municípios ampliem ainda mais a sua agenda ambiental. A Estância Turística de Olímpia visa a cada ano melhorar ou ampliar as exigências necessárias a esse programa, por isso vários itens estão sendo desenvolvidos em relação as diretivas.

Até então, a Estância Turística de Olímpia estava certificada pelo Programa Município Verde Azul, ocupando a 77ª posição, num total de 645 municípios participantes do Programa, com  71,73 pontos. Mas, este ano, a cidade assiste sua triste derrocada dentro deste programa.

Comentários