Elenco do filme “Pródigo” fala sobre inicio de gravação

Foi realizada na tarde de ontem, 27, coletiva de imprensa, no Thermas de Olímpia Tuti Resort, para o anúncio de inicio de gravação do filme Pródigo, inspirado na parábola de Jesus, que está programado para estrear nos cinemas em 2014, já as filmagens começam em julho de 2013. 

O cineasta Pedro Lucínio, de São José do Rio Preto, iniciou a fase de preparação para a produção de seu próximo filme, “Pródigo”, um drama-suspense baseado na célebre parábola de Jesus “O Filho Pródigo”. O projeto está amparado pelo Programa de Ação Cultural (ProAC-ICMS), da Secretaria Estadual de Cultura de São Paulo. “Foram quatro anos de trabalho para viabilizar este projeto”, destaca o diretor. O início das filmagens está previsto para julho de 2013 e o lançamento nos cinemas será em 2014.

 Segundo Lucínio, “Pródigo” é um filme com temática cristã. “Apesar de ser inspirado em uma parábola, o roteiro é bastante contemporâneo, trazendo para os dias atuais as dificuldades enfrentadas pelo filho pródigo. Na realidade, ele faz parte de muitas histórias reais que vemos acontecer com nossos jovens nos dias de hoje”, comenta.

“Pródigo” seria um filmes simples senão fosse pelo fato de permitir ao público visualizar e vivenciar como pode ser trágica a vida de um jovem que foi criado dentro de uma linha religiosa, cercado de limites, e agora se encontra só em uma cidade grande. A produção marca na cabeça do expectador a imagem de um mundo horrendo e cruel, que existe longe da presença de Deus. O universo interno do personagem vive transbordado nas incertezas da vida e numa paixão louca e obsessiva que o carrega ao fundo do poço. 

A intenção do diretor é montar uma equipe de trabalho inteiramente rio-pretense. “Rio Preto tem excelentes profissionais em quase todos os departamentos de cinema. Existem vários profissionais que estão comigo desde 2007, quando retornei a Rio Preto. Não vejo problema numa equipe somente do interior, mas se fizer necessário, vou buscar profissionais em SP ou Rio”, diz Lucínio.

Para o diretor, “Pródigo” é um drama-suspense que envolve temas fortes e reais, situações comuns, mas que margeiam a divisa entre o certo e o errado. Tudo isso acaba deixando o expectador decidir por si o que é bem e o que é mal e vai mais além, passando ele próprio a compreender o real significado do “estar longe de Deus”.

 

SINOPSE

Na tranqüila Yahweh, uma fazenda na divisa entre Brasil e Bolívia, João, prestes a completar dezoito anos, vive com o pai, Enoque, e Daniel, irmão mais velho. A mãe morreu quando os garotos eram pequenos e, desde então, o pai, cristão, filho de pastor, cria os filhos de acordo com seus preceitos religiosos, longe do mundo exterior.

 

Como todo jovem, João sempre quis conhecer pessoas, lugares e estudar na cidade grande, mas o que conseguiu foi terminar o ensino médio na velha escola rural de Nuevo Mundo, uma cidadela na fronteira. Sem aparelho de TV ou telefone na fazenda, João cresceu isolado do mundo, fazendo-o sonhar ainda mais com outros lugares, despertando nele uma grande curiosidade, que aos poucos se tornou uma obstinação, chegando ao ponto de se desinteressar totalmente pela vida no campo.

 

Após a morte do Pastor Simão, considerado um avô pelos irmãos, João começa a ter pequenas visões, que envolvem um homem sinistro, tudo relacionado a uma revista que ele não sabe de onde surgiu. No dia do seu aniversário, João vê sua chance. Com a ajuda de sua avó materna, Zulmira, e a contragosto de seu pai, João passa a estudar e morar com a avó em São Paulo.

 

Na faculdade, João conhece Carmem, uma veterana, por quem se apaixona. Carmem vive imersa no drama de uma vida dupla, durante o dia é uma aluna exemplar, à noite, usuária de drogas. Para conquistar Carmem, João se envolve com más companhias e estabelece uma amizade com Z, performista da boate Rave, que o encaminha nas drogas e no submundo do crime.

 

A situação se complica quando João briga com a avó, sai de casa e fica sem dinheiro. Abandonado por Carmem, João sente-se humilhado e fracassado. Com vergonha de pedir ajuda ao pai, João entra em um turbilhão de sentimentos antagônicos, como rancor e piedade, tristeza e euforia, que o levam a viver a beira do abismo e do abandono completo de Deus.

 

SOBRE O DIRETOR

Pedro Lucínio, 44 anos, é ator, roteirista e diretor cinematográfico registrado na DRT sob nº 5744 e filiado ao SINDCINE (Sindicato dos Trabalhadores na Indústria Cinematográfica de SP). Especialista em Broadcast, Comunicação e Arte Eletrônica, executou diversos trabalhos para veículos de comunicação, produtoras de vídeo e cinema e agências de publicidade em São Paulo, Rio de Janeiro e boa parte do território nacional. Já produziu reportagens, filmes publicitários, documentários, curtas, médias e telefilmes, tendo trabalhado para TV RECORD (RJ) e TV BANDEIRANTES (SP).

 

Comentários