Duas possíveis mortes por dengue são investigadas em Olímpia

Um paciente foi transferido para Rio Preto e não resistiu, outro morreu na cidade

A interlocutora de dengue da Divisão Regional de Saúde de Barretos, Marta Aparecida Felisbino, confirmou a reportagem do jornal Planeta News a investigação de dois óbitos com suspeita de terem sido por Dengue.

Segundo a informação um dos suspeitos de morte por dengue fora transferido para hospital em Rio Preto e, devido à gravidade do estado em que se encontrava  veio á óbito ,  registrando o segundo caso de morte por dengue em Olímpia.

Perguntado sobre as idades e sexo dos mortos, a interlocutora disse que não poderia fornecer mais informações, pois as duas mortes suspeitas por dengue estão sendo investigadas. “Não podemos informar nada sobre os pacientes que vieram a óbito, pois existe uma investigação sobre a causa mortis. A suspeita é que tenha sido por dengue”, relatou Marta.

Varias cidades da região têm enfrentado epidemia da doença. Em Olímpia os casos vêm aumentando consideravelmente nos últimos meses.

Segundo moradores poucas foram às ações preventivas pela vigilância epidemiológica nos últimos dois anos: “Não recebo visita de controle, muito menos vejo nebulização mesmo com número excessivo de mosquitos”, diz uma moradora do Jardim Glória.

Já uma moradora da São José disse que: “Tem de três a quatro doentes por rua e não vemos nenhuma ação mais efetiva por parte da secretaria de Saúde”.

A reportagem do Planeta News solictou informações á assessoria de imprensa da prefeitura da |Estância Turistica de Olímpia, que em nota, informou:  

Em Olímpia, neste ano, foram confirmados 177 casos positivos de dengue (12 importados), sem nenhuma morte confirmada. De 832 notificações, 189 deram negativo e 466 aguardam resultados. Cabe esclarecer que os dados são do dia 26 de março e ainda não há epidemia de dengue do município.

Somente no ano de 2019 foram realizadas mais de duas mil visitas de rotina em imóveis, cerca de 11.300 bloqueios e mais de 7.800 nebulizações para diminuir os casos da doença e conter a proliferação do mosquito Aedes aegypti. Com intuito de analisar os resultados das ações e discutir novas medidas, a Saúde tem feito encontros sistematicamente com representantes de diversas secretarias, Daemo, UPA e Santa Casa. As reuniões, denominadas de "Sala de Situação", discutem questões relacionadas à prevenção e ao combate do Aedes aegypti, transmissor da dengue, zika, chikungunya, as chamadas ‘arboviroses’.

Além destas ações, como forma de manter sob controle o avanço da dengue, a Prefeitura, lançou uma campanha institucional de incentivo ao combate da doença, espalhando panfletos e outdoors pela cidade, com o objetivo de reforçar a importância do trabalho em conjunto do poder público com a sociedade. O município também promoverá de 01 a 16 de abril o Projeto Cidade Limpa, uma iniciativa da TV TEM em parceria com a Prefeitura, que percorrerá cerca de 70 bairros, em todas as regiões da cidade e nos distritos de Ribeiro dos Santos e Baguaçu.

 

 

 

Sobre a Dengue

Trata-se de uma doença infecciosa causada por um vírustransmitido pelo mosquito Aedes aegypti. Ela não tem tratamento específico, causa sintomas como febre alta e dores no corpo e pode até matar. Sua incidência aumenta no verão, em dias quentes e úmidos.

O vírus que provoca essa doença pertence ao grupo dos arbovírus, que são passados por picadas de insetos, principalmente mosquitos. Existem quatro tipos de vírus da dengue.

“Portanto, é possível ser infectado até quatro vezes”, explica a infectologista Melissa Barreto Falcão, da Sociedade Brasileira de Infectologia (SBI). “Após a infecção, o corpo fica permanentemente imune contra o sorotipo que o atacou”, completa.

 

Comentários