Diretor nega estar ocupando três cargos

Denúncia foi feita pelo vereador Magalhães, da Tribuna da Câmara, 2ª feira

 

O diretor-presidente da Progresso e Desenvolvimento Municipal-Prodem, Vivaldo Mendes Vieira, negou na terça-feira passada, 25, estar ocupando no momento três cargos públicos simultâneos, conforme denunciou o vereador João Magalhães (PMDB) da Tribuna da Câmara, na sessão ordinária de segunda-feira, 24. O vereador criticava a resposta encaminhada a ele pelo Executivo municipal, indeferindo o pedido de informações que incluía, também, o ex-secretário de Planejamento, Amaury Hernandes, que segundo Magalhães ocuparia dois cargos simultaneamente.

 

“Não procede”, começa dizendo Vieira. “No início ocupei outros cargos, como diretor de Cultura e diretor de Turismo, mas sem remuneração. O funcionário pode escolher pelo vencimento de um deles, e foi o que fiz”, afirmou. Vivaldo Mendes disse ainda que assim que foi nomeada para a função na Cultura Marina Pasini Salemi, ele deixou de exercê-la. E que quando foi nomeado para a Secretaria de Esportes, Cultura, Turismo e Lazer o vereador licenciado Beto Puttini, ele também se afastou da função, ficando somente com a Prodem.

 

“O vereador tem esta informação”, observou. Mendes diz que um decreto o tirou da Cultura, quando Puttini assumiu. “Não havia mais necessidade”, reforçou. “Não exerço nenhuma outra função remunerada, nem outro cargo qualquer. Sempre respondemos a ele (vereador) todos os ofícios. Está tudo dentro da lei e da ética”, finalizou.

 

MAS NÃO É O

QUE PARECE

No entanto, a impressão que fica é a de que algo está mesmo estranho no tocante a esta questão. Porque a Imprensa Oficial do Município-IOM, edição do dia 3 de janeiro de 2009, traz as duas nomeações de Vivaldo Mendes Vieira, por meio dos decretos 4.378 e 4.379, ambos de 2 de janeiro, no quais consta, após a denominação do cargo, a afirmativa “fazendo jus ao vencimento ou remuneração e demais vantagens do respectivo cargo”.

 

Além disso, segundo o vereador Magalhães, não há na IOM, desde aquela data até a última edição, do dia 22, nenhum outro decreto exonerando Mendes dos cargos. Além do mais, a IOM traz em sua página 2, ainda nesta última edição, Vivaldo Mendes como diretor de Turismo.

 

No caso de Amaury Hernandes, as publicações de suas nomeações foram feitas também na edição de 3 de janeiro, por meio dos decretos 4.373 (Secretário Municipal de Planejamento e Desenvolvimento Urbano) e 4.377 (Diretor de Trânsito e Transporte Coletivo da Prodem), ambos “fazendo jus ao vencimento ou remuneração e demais vantagens do respectivo cargo”. Da mesma forma, não há na IOM até hoje, decreto revogando as nomeações.

 

“O prefeito se nega a responder, faz uma confusão intencional, muda o número dos ofícios e diz que não devemos interferir na administração”, contesta o vereador. “Vamos tomar providências diferentes”, adiantou. “O funcionalismo precisa ser tratado de forma diferente, não se pode dar privilégios a apenas dois”, critica.

Comentários