Deputado diz que ‘prefeito mente’ sobre Estância

Geninho (DEM) havia acusado a bancada do PT de ter atrapalhado a votação do projeto no mês passado

 

 

O deputado estadual do Partido dos Trabalhadores-PT, João Paulo Rillo, demonstrou indignação ao saber que o prefeito Geninho (DEM), havia acusado deputados do seu partido de estar atravancando a aprovação, na Assembleia Legislativa, do projeto de Lei 877, de 2013, que transforma Olímpia em Estância Turística. “O prefeito mente descaradamente”, rebateu o deputado.

 

Geninho acusou “um deputado do PT”, sem citar nomes, de querer “prejudicar Olímpia”. Segundo ele, o deputado levantou a questão de Olímpia não ter 100% de esgoto tratado. “Mas agora tem, em dezembro vamos entregar a estação de tratamento de esgoto. Foi demagogia do Partido dos Trabalhadores, querendo prejudicar (a cidade), mas a emenda foi rejeitada”, atacou o prefeito.

 

“É lamentável o prefeito emitir uma opinião dessa, porque reduz uma discussão tão serena, tão importante para a cidade a uma disputa política que não sei onde ele enxerga. Eu não tenho disputa política nenhuma com ele. Eu sou de São José do Rio Preto, ele é de Olímpia. Ele é prefeito, eu sou deputado. E a bancada do PT tem uma outra posição. O prefeito mente descaradamente”, contra-ataca Rillo.

 

Para ele, Geninho “deveria aproveitar a oportunidade e agradecer os deputados que estão defendendo a transformação de Olímpia em cidade turística. Deveria ter trabalhado mais, nunca o vi aqui no colégio de líderes pedindo para que votassem este projeto, como muitos prefeitos fizeram. Então ele mente descaradamente, desafio ele a provar o que está falando”, insistiu.

 

“Porque é uma acusação muito chata, muito desagradável com quem está ajudando a cidade. Não faço mais que minha obrigação. Se Olímpia não tivesse vocação turística não defenderia. Mas tem, por isso defendo”, prosseguiu. De acordo com Rillo, o projeto “está em discussão, na iminência de ser pautado”. Ele não falou em data de votação.

 

‘LOBBY DE DEPUTADOS’
Esperada com muita apreensão pelo prefeito, a votação do projeto que elevaria Olímpia à condição de Estância Turística marcada para a tarde do dia 4 de junho, não vingou. Lobby de deputados estaduais na Assembleia Legislativa forçou a retirada dos projetos da pauta porque queriam também seus redutos políticos contemplados, segundo Geninho.

 

“Eles dividiram a pauta e as cidades ficaram prejudicadas. Mas, a promessa é a de votar na terça-feira da semana que vem, dia 10”, disse ele no dia seguinte, mas isso acabou não acontecendo. Disse que era um compromisso do Governador, e que esperava comemorar o feito. Mas, até agora não foi à pauta.

 

Além de Olímpia também as cidades de Guaratinguetá, no Vale do Paraíba, onde nasceu Frei Galvão, o primeiro santo brasileiro, e Brotas, com seu turismo ecológico, também estavam junto com Olímpia na pauta. Quando forem aprovadas e sancionadas pelo Governador, estas três cidades passarão a contar com 70 estâncias turísticas, que são classificadas como Balneárias, Climáticas, Hidrominerais e Turísticas.

 

Com a classificação, os municípios terão direito a receber recursos do Departamento de Apoio ao Desenvolvimento das Estâncias-Dade, órgão ligado à Secretaria Estadual de Turismo, para investimentos no setor turístico. Nas contas do prefeito, Olímpia passaria a receber, a partir de 2015, “em torno de R$ 2 milhões por ano.

 

Este dinheiro seria usado para melhorar asfalto, sinalização, portais, e asfalto das vias de acesso, segundo ele. “É dinheiro gasto para melhorar a vida dos turistas. Sem dúvida, uma cidade com orçamento apertado, este dinheiro do Dade possibilitará dar a infraestrutura necessária ao setor”, disse. O governador Geraldo Alckmin (PSDB), autor das proposituras, afirma que até o final de sua gestão terá liberado cerca de R$ 1 bilhão para as estâncias.

 

Comentários