Cunha reduziu investimento em Vigilância da Saúde em 15% revela site

Em valores o município investiu em 2016 R$ 4,8 milhões, em 2017, R$ 3,1 milhões, em 2018,  apenas R$ 2,6 milhões; em resumo, o município desinvestiu o montante de R$ 3,89 milhões

Segundo informações recebidas do Site O Transparente, especializado em analisar as contas públicas, dados recentes disponibilizados pelo Tribunal de Contas de Estado de São Paulo-TCE/SP permitiu identificar um decréscimo significativo em investimentos na área de Vigilância em Saúde, de 2016 para 2018.

“No comparativo 2017 e 2016 houve redução de investimentos na ordem de 36%, já no comparativo 2018 e 2017 houve novamente redução, agora de 15%. Portanto, de 2018 para 2016 a redução de investimento em Vigilância da Saúde foi da ordem de 45%”, revela o site.

“Em valores o município investiu em 2016 o montante de R$ 4,8 milhões, em 2017, R$ 3,1 milhões. Já em 2018 foram apenas R$ 2,6 milhões. Em resumo, o município desinvestiu o montante de R$ 3,89 milhões nos últimos dois anos na área de Vigilância em Saúde”, prossegue.

“O número por si não implicaria a Administração se não fosse o estado de epidemia de dengue que o município vive. Não podemos dizer que o desinvestimento na área sozinho seja fator determinante para a atual situação, mas é possível que seja parte importante no resultado negativo que a cidade vem enfrentando na área”.

“Como é de conhecimento público, a Unidade de Pronto Atendimento tem atendido uma quantidade expressiva de pessoas. Somadas àquelas atendidas por convênios e consultórios médicos, temos um quantidade razoável de pessoas com o vírus da dengue. Infelizmente não podemos expor dados sobre os números oficiais da dengue, pois o município não atua com transparência na questão e ainda utiliza-se de métodos altamente contraditórios de contabilização dos casos”, finaliza.

Comentários