Cunha impõe média de quase 22% de aumento nas tarifas de ônibus

Este é o segundo aumento praticado pelo atual gestão; só uma empresa se habilitou ao transporte coletivo de R$ 26,3 milhões, concessão que será por 10 anos

Prefeito Fernando Cunha

Sob um argumento nada plausível de que era necessário evitar uma paralisação dos serviços de transporte coletivo da Estância Turística de Olímpia, a Prodem – Progresso e Desenvolvimento Municipal, órgão gestor dos transportes locais, praticou o que está chamando de “realinhamento de valores” nas tarifas dos ônibus urbanos e dos que fazem a linha dos distritos. Este é o segundo reajuste autorizado pelo prefeito Fernando Cunha, alcançando a média de quase 22% entre 2018 e este ano.

A empresa se escuda na aprovação do aumento pelo Conselho Municipal de Transportes Urbanos-Comtu, em reunião realizada no dia 25 de março. Diz a nota do governo municipal que a empresa Expresso Fadel Ltda., que tem um contrato emergencial de concessão do transporte, vinha solicitando o reajuste, tendo, inclusive, protocolado a proposta no início do mês.

Diz ainda a nota que “segundo alegações da empresa, o realinhamento de valores se justifica tendo por base os aumentos dos insumos como, por exemplo, as recorrentes altas nos valores dos combustíveis, que elevam, por efeito dominó, os preços dos outros insumos como pneus, peças, mão de obra, entre outros”, mesmo argumento usado quando do reajuste praticado por Cunha em 2018.

“Outra justificativa é o baixo número de usuários pagantes do sistema do transporte público, ou seja, somente 30% dos passageiros; 50% possuem a gratuidade, que são pessoas idosas e deficientes, e 20% são estudantes que pagam meia passagem”, prossegue a nota, alegando ser a despesa da empresa “bastante superior à arrecadação”. A estimativa é de que apenas 5% da população do município e dos distritos utilizem o transporte coletivo.

Os novos valores, que são válidos desde ontem, quinta-feira, 28 de março, são de R$ 4 para as linhas urbanas municipais; R$ 4,50 para o distrito de Ribeiro dos Santos e R$ 5 para o distrito de Baguaçu. Valores que representam, respectivamente, 11%, 12.5% e 8.69% de aumento na comparação com 2018, cujos valores eram R$ 3,60, R$ 4 e R$ 4,60.

Os valores de 2018, por sua vez, foram reajustados com base no que era cobrado em 2015, ou seja, R$ 3,20, RF$ 3,60 e R$ 4,20, correspondendo a 12.5%, 11% e 9.5% de aumento, também respectivamente. No cômputo geral, os dois reajustes praticados por Fernando Cunha custaram ao olimpiense, até agora, 23,5% no caso das tarifas urbanas, 23.5% no caso das tarifas para Ribeiro dos Santos e 18.9% nas tarifas para Baguaçu.

Na média, a partir de 2018, andar de ônibus na Estância Turística está 21.73% mais caro.  O decreto que regulamenta o reajuste da tarifa foi publicado na edição do Diário Oficial Eletrônico, de terça-feira, 26. Foram afixados comunicados nos veículos para informar a população. Em 2017 o prefeito recusou pedido de reajuste das tarifas feito pela Bontur.

Talvez seja essa uma das razões pelo fato de o contrato, que venceu no ano passado, não ter sido renovado. A outra seria o julgamento como irregular do documento, feito pelo Tribunal de Contas do Estado. Até o momento é a empresa Fadel que presta o serviço emergencial no município, enquanto uma nova contratação é realizada por meio de licitação.

Como estava prevista para quarta-feira, 27 de março, a abertura do envelope da Concorrência 01/2019, contendo a proposta da empresa habilitada Auto Viação Suzano Eireli, difícil crer que realmente foi a atual concessionária que solicitou o reajuste. Isso pode tratar-se, aí sim, de um realinhamento a fim de contemplar os valores a serem arrecadados pela futura concessionária.

Comentários