‘Pente fino’ detecta só dois idosos no ‘Renda Cidadã’

Trata-se de um programa estadual de transferência direta de renda, cuja lista, no Estado, era de 80 beneficiados

 

O “pente fino” feito pela Secretaria Municipal de Assistência e Desenvolvimento Social detectou apenas dois dos 80 idosos listados pelo Governo do Estado, em condições reais de integrar o Programa Renda Cidadã, um programa estadual de transferência direta de renda, que visa beneficiar idoso com 80 anos ou mais que possua renda familiar mensal per capita de até meio salário mínimo nacional, e que não receba o Benefício de Prestação Continuada e Renda mensal vitalícia.

De acordo com o vice-prefeito e secretário de Assistência, Gustavo Pimenta, o Estado encaminhou a Olímpia uma relação com 80 nomes de idosos olimpienses que podiam receber o benefício. Mas, uma busca minuciosa apontou que apenas dois deles se enquadravam no que determina o programa. “Muitos da lista faleceram, outros têm renda, por aposentadoria”, explicou Pimenta.

“Aquele idoso que já esteja no BPC (Benefício de Prestação Continuada) não tem direito ao programa. Mas, aquele que recebe aposentadoria pode, porque pode receber aposentadoria, mas, no cômputo geral, não alcançar a renda per capta”, complementa.

A Assistência, porém, está cadastrando idosos interessados no programa nos Centros de referências (CRAS), bastando que levem o CPF e uma comprovação da idade. Aqueles que tiveram dentro do que exige o programa, substituirão os que foram eliminados. Há, portanto, 78 vagas que podem ser preenchidas.

Para apurar a condição econômica do idoso, é feita a soma da renda liquida de todos os integrantes da família, como aposentadoria, salário, pensão, Benefício de Prestação Continuada, Renda Mensal Vitalícia e outras. Depois a soma deve ser dividida pelo número de pessoas da família. O resultado é a renda per capita (por pessoa). O benefício é de R$ 100, pago mensalmente nas agências do Banco do Brasil.

Comentários