Vereadores pedem galpão e curral de volta na ‘Vila Brasil’

Secretária Tina Riscali mandou derrubar estes dois espaços alegando que estavam oferecendo perigo de desabamento, mas não construiu outros

Galpão Crioulo, instalado ali pelos representantes gaúchos foi retirado

Os vereadores Antonio Delomodarme, o Niquinha (PTdoB), e Hélio Lisse Júnior (PSD) pediram na sessão ordinária de segunda-feira passada, que a secretária municipal de Cultura, Esportes e Lazer, Tina Riscali, reconstrua no espaço chamado “Vila Brasil”, no Recinto do Folclore, o Galpão Crioulo, instalado ali pelos representantes gaúchos que vêm ao Festival, e o curral de madeira, instalado ali por doação de um empresário olimpiense. Para ambos, sem estes dois equipamentos o local fica descaracterizado e perde grande parte de seus atrativos.

Para o vereador Niquinha, aquele espaço é o ideal para “pessoas de mais idade”, já que há acomodações e músicas do passado, num ambiente muito próximo ao real na retratação da vida rural. Ele lembra, também, que o município não teve custo para implantar a “Vila Brasil”, já que todos os equipamentos dali –os outros são as casas do Caipira e de Taipa, construídas por um artista voluntário- foram instalados de forma gratuita.

“Folclore é tradição, quanto mais caipira, mais cultura. Folclore tem que ser a tradição”, argumentou Niquinha, lembrando depois dos tempos em que a festa era realizada nas praças Da Matriz e Rui Barbosa. “Não sei aqui quem teve o prazer de ver o Folclore na Praça, as barracas eram de bambu, uma coisa bem caipira. Então, eu acho que a cidade tem que continuar sendo caipira, para atrair as pessoas de mais idade”, argumentou.

“Então, eu queria pedir aqui ao (vereador do PR) José Elias Morais, que tem mais amizade com a secretária (na verdade, informações dão conta de que Riscali seria indicação dele ao prefeito), e vou lá fazer um apelo. Mas, já apelo para o José Elias Morais e para a secretária deixar aquela tradição para nós, velhinhos, curtirmos a música com o pessoal todo sentadinho”, completou.

“Eu gostaria de reiterar o que o Niquinha falou ao Zé das Pedras. Há realmente um clamor para que volte aquele local, as broas, a pamonha, o bolo de fubá, isso tudo é tradição, é Folclore, coisa do passado. Se for preciso, que se faça uma reforma, porque é o diferencial da festa. E o Rio Grande do Sul que doou aquele galpão”, disse.

Comentários