Vereador ataca Planeta por causa do IPTU

J. Magalhães, naturalmente a mando do prefeito, criticou reportagens do jornal que cobravam esclarecimentos do Governo Municipal sobre detalhes de cobrança do imposto

Vereador João Magalhães


O vereador J. Magalhães (PMDB) usou da Tribuna da Câmara na sessão ordinária de segunda-feira passada, 3, para atacar o Planeta News, por conta de reportagens publicadas em suas últimas edições nas quais cobrava melhores esclarecimentos do Governo Municipal sobre a nova sistemática adotada e os critérios que possibilitaram uma redução anunciada de 10,5% no valor do Imposto Predial, Territorial e Urbano de Olímpia, para 2018. Com seu modo empolado de falar, o vereador disse, entre outras coisas, que o jornal estava transmitindo “ideias totalmente equivocadas”.

“Nessa Casa de Leis chegou um projeto da parte do Executivo a respeito do IPTU. A maioria da imprensa do município de Olímpia noticiou o fato e deixou a expectativa de uma situação posterior. Entretanto, a gente vê a matéria do Planeta News, que procurou estabelecer uma ideia totalmente equivocada”, disse. Antes, porém, J. Magalhães elogiou este semanário, “que já existe há anos em Olímpia, que tem uma credibilidade bem respeitada no município”.

Depois, disse que “a matéria jornalística que está estampada aqui com chamada de capa em duas sequências semanais, leva a entender que o projeto de Lei é um equivoco, um falsete por parte do executivo, o que não é verdade. Então, a notícia tem que ser dada de uma forma consistente, não pode passar uma mentira e o jornal, que possui bastante credibilidade, não pode estampar noticias desse porte”, sustentou.

“E a gente vê na primeira edição e na segunda edição, a insistência do jornal. Estou falando do jornal porque não tem a assinatura do autor da matéria, então, não tenho como identificar, e se eu descobrir quem é o autor, quero discutir sobre esse assunto com ele”, prosseguiu.

“Então, dessa forma nós precisamos citar o jornal, agora nós temos isso, o que o jornal noticiou, não sei como teve esse tipo de ilação e de ideia de como foram extraídas as cotações que foram aqui absurdas e desnecessárias, dizendo que há aumento de tanto para tanto, sendo que o projeto não contempla isso”, argumentou o vereador.

No tocante à informação do aumento nos valores dos padrões de construção, a reportagem foi induzida a erro porque não constava no projeto encaminhado à Câmara, o detalhe de que a totalização estava sendo feita sobre valor anterior já reajustado, e não sobre o valor original do projeto, de 1997. Somente na segunda reunião da secretária Mary Brito, de Finanças, com os vereadores, que este detalhe foi esclarecido mediante entrega de um “caderno” com o resumo do “estudo”.

“Nós esperamos, no mínimo, que o jornal tenha um pouco mais de cautela, para quem fez a matéria, que não se comprometa mais da maneira que foi feita, porque a gente encontra o texto escrito de uma maneira picante e ardilosa, até de uma maneira desrespeitosa da classe politica de Olímpia”, completou.

NOTA DA REDAÇÃO: Reproduzimos a fala do vereador Magalhães suprimindo as redundâncias e as expressões repetitivas sem comprometer a essência de sua fala. É diretriz do jornal levar a seus leitores as noticias mais relevantes em todos os seus aspectos. O IPTU vem corroendo as finanças da população desde que o Legislativo aprovou alterações na Planta Genérica de Valores, que embasa a fixação dos índices que se tornam fato gerador do imposto.

Em reunião com vereadores e com a imprensa a secretária de Finanças, Mary Brito, e o prefeito Fernando Cunha, deram explicações sobre a proposta de revisão da Planta proclamando a redução do tributo através de um tipo de zoneamento.  As explicações não se aprofundaram, motivo pelo qual a Redação submeteu à secretária um questionamento de seis pontos que seriam esclarecedores para o público leitor. Entretanto, após insistência durante todo o dia a secretária julgou que as explicações dadas na reunião tinham sido suficientes e não deu as explicações solicitadas pelo jornal.

Ao vereador, pessoa que temos como esclarecida, reiteramos que a opinião do jornal está sempre na página 3. As demais matérias noticiosas saem da redação para publicação e no Expediente há o nome do jornalista responsável, como determina a lei. Repudiamos com veemência as palavras pouco educadas do orador por seu conteúdo inverídico, pois ele sabe que o Planeta News sempre foi independente e fiel aos acontecimentos. De qualquer maneira, se entendeu direito a questão, que aponte os equívocos a que se refere.

Comentários