Secretárias de Cunha retiraram mais de R$ 70,9 mil para viagens em 2017/2018

Elaine Ferreira Lopes, comissionada, gastou este ano, mais de $ 11,5 mil; outra comissionada, Taise Ferreira Lopes dos Reis, tem em seu nome mais de R$ 11 mil para viagens em 2017/2018

Uma pesquisa feita pela redação do Planeta News junto ao Portal da Transparência possibilitou constatar uma situação no mínimo inusitada. Duas funcionárias comissionadas no Gabinete do prefeito Fernando Cunha (PR) têm em seus nomes, retiradas a título de despesas de viagens que somam em 2017, R$ 55.033,90, e só nos dois primeiros meses e meio de 2018, os valores já chegam a R$ 15.925,66.

Ou seja, sem que se tenha conseguido saber que tipos de viagens são essas ou mesmo se o dinheiro tirado em nome delas serve, na verdade, ao prefeito, a dupla Elaine e Taise retiraram, em 2017 e nos primeiros meses de 2018 (1º de janeiro a 20 de março), um total de R$ 70.959,56. Quanto retornou deste total aos cofres públicos, se é que voltou, não foi possível também apurar.

A editoria do jornal, como de praxe, encaminhou e-mail à assessoria de imprensa da prefeitura municipal, na manhã de ontem, e até o fechamento desta edição, também como de praxe, não havia sido encaminhada nenhuma resposta. O conteúdo dele fazia as seguintes indagações: Qual a função da servidora Elaine Ferreira Lopes? A citada servidora presta algum serviço fora do município? Qual a função da servidora Taise Ferreira Lopes dos Reis? A citada servidora presta algum serviço fora do município?

No entanto, apesar do assessor “importado” de Cunha ter lido o e-mail conforme acusou o sistema, ele não se dignou a explicar porque este gasto tão elevado em viagens que, consta, foram feitas por estas duas funcionárias do Gabinete. Elaine Lopes teria vindo de São Paulo, onde trabalhava em empresa particular de Cunha, e Taise é olimpiense que está com o prefeito desde o período de campanha eleitoral, da qual foi secretária do escritório político.

De acordo com informações obtidas junto ao Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, secção de São José do Rio Preto, “agente político não pode empenhar despesas em seu nome”. Sendo assim, Cunha pode estar usando o artifício de colocar em nome das funcionárias o dinheiro que retira para suas viagens, caso não sejam as próprias funcionárias que se deslocam.

Mas, há outro detalhe. Quando o agente político precisa fazer este tipo de retirada, ele não pode fazê-lo em nome de funcionário comissionado, segundo informações. A retirada deve ser feita sempre em nome de funcionário efetivo.

De acordo com o apurado pela reportagem, de 1º de janeiro a 31 de dezembro de 2017, Elaine Ferreira Lopes retirou em seu nome, para viagens, R$ 48.199,73, enquanto Taise dos Reis retirou R$ 6.834,17. No total, as duas “gastaram” em viagens no ano, R$ 55.033,90. Neste ano de 2018, computando de 1º de janeiro a 20 de março, Elaine retirou R$ 11.509,31, enquanto Taise retirou R$ 4.416,35. Ou seja, as duas “viajaram” em dois meses e meio, o suficiente para gastarem R$ 15.925,66.

Comentários