Salata acusa prefeito de articular ‘plano diabólico’ contra Geninho

Ex-secretário e agora vereador disse na Câmara que o prefeito teria oferecido cargos aos vereadores que votassem contra a prestação de contas do ex-prefeito

O ex-secretário de Turismo, Agricultura e Desenvolvimento Econômico de Fernando Cunha (PR), o agora vereador Luiz Antônio Moreira Salata (PP), usou da Tribuna da Câmara na sessão ordinária de segunda-feira passada, 4 de setembro, para fazer o que chamou de “desagravo” contra o chefe do Executivo, por causa de entrevista concedida à imprensa na semana passada, onde, entre outras coisas, disse ter sido obrigado a “engolir” o vereador na Secretaria, para “ajustar a eleição da Mesa da Câmara”.

Salata não poupou críticas ao seu ex-companheiro político, mostrando forte ressentimento por Cunha ter tentado, segundo ele, “golpeá-lo de forma violenta”, por meio da Abecao, entidade que presta serviços na área social e de formação de mão-de-obra qualificada, fundada por seu pai há 54 anos em Olímpia, e hoje dirigida por familiares seus.

Mas, o vereador enveredou-se também pela seara política, e fez grave acusação contra o prefeito: a de que ele estaria “articulando um plano diabólico no sentido de rejeitar as contas de Geninho” na Câmara de Vereadores, mesmo estas estando com parecer favorável do Tribunal de Contas do Estado-TCE.

“’Sêo’ prefeito municipal, no último dia 30, utilizou do seu tempo livre em uma emissora, visando me golpear de maneira violenta, no sentido de me denegrir no cargo público. Portanto, agora utilizando o Artigo 5º (da Constituição), eu vou desagravar”, avisou Salata, da Tribuna.

“A meia-verdade é uma mentira completa”, começou, fazendo uso de um provérbio que disse ser chinês, mas é também iídiche, com pequenas variações. “No último dia 30, tardiamente, após 20 dias, (o prefeito) saiu para se defender, a partir do momento que tomei posse dessa Casa. Me atacou pessoalmente e também à minha entidade, da qual sou voluntário, e que foi idealizada e fundada pelo meu falecido pai, que tem 54 anos ajudando sem nenhuma mácula. No entanto, ele utiliza aspectos do Ministério Público, de uma ação cível, onde eu não fui convocado para prestar esclarecimentos, tão pouco o Geninho, ou as entidades envolvidas. Ele tenta me desqualificar também como secretário municipal. Mas quero avisá-lo, de que já prestei contas dos meu atos”, relatou o vereador.

“O ‘sêo’ Cunha tenta desviar a atenção da população, no sentido de que já em abril, com seu intento de perseguir o ex-prefeito Geninho, articulou um plano diabólico no sentido de rejeitar suas contas (de Geninho) nesta casa. Fui consultado sim, por pessoas do Gabinete do prefeito, me manifestei solidário ao ex-prefeito Geninho, com relação às suas contas que estão vindo com parecer favorável do Tribunal de Contas”, revelou.

“Em abril, de forma articulada, ele determinou ao meu suplente (Tarcísio Cândido de Aguiar, atualmente secretário de Agricultura) que viesse a esta Casa e consultasse alguns vereadores, e oferecesse cargos, para votarem contrários às contas do ex-prefeito. É um absurdo”, contestou. Contra esta acusação, nenhum representante da bancada do prefeito levantou-se para defendê-lo, nem mesmo seu líder, João Magalhães (PMDB).

“É hora, portanto, do ‘sêo’ Fernando Cunha parar de viver na sombra do prefeito Geninho, e começar a trabalhar”, cobrou. “Gostaria de pedir ao senhor Cunha que assuma sua gestão e que faça dessa Estância o que todos os olimpienses sonham”, completou.

PIMENTA
A propósito do assunto Abecao, o presidente da Câmara, Luiz Gustavo Pimenta (PSDB), usou da Tribuna na sua vez de fala e defendeu Salata e a entidade, dizendo que atacá-la, “vai criar perigosos precedentes para as outras entidades”, porque “a Abecao nada mais fez do que as outras entidades também fazem”.

Comentários