Presidente da Câmara, atacado, responde a ‘reportagem imbecil’

‘Não sou contra o prefeito, sou da base dele e vou defender ele; agora, esse jornal quer causar brigas entre essa Casa e o Executivo, e isso não vai acontecer’

Presidente da Câmara, Gustavo Pimenta.

O vereador e presidente da Câmara, Gustavo Pimenta (PSDB) usou da Tribuna da Câmara na sessão ordinária de segunda-feira passada, 26, para rebater ponto a ponto as críticas feitas a ele pelo semanário “Folha da Região”, que tem se notabilizado pela defesa intransigente do Governo Municipal e ataques à Casa de Leis, mas somente à pessoa de Pimenta, muito provavelmente por causa de sua ligação com o ex-prefeito Geninho (DEM). Pimenta chegou a insinuar que o jornal em questão “é do (prefeito) Cunha”. O presidente da Câmara considera que seu editor, José Antônio Arantes, tem “um jeito folclórico”.

 “Se uma pessoa que não acredita em Deus, uma força superior, nós não podemos ir para o debate, então vamos pular essa etapa”, começou Pimenta. O editor afirmou que o presidente passou pela prefeitura, pela Secretaria de Assistência Social e pela Provedoria da Santa Casa e nada fez, além de, atualmente, “ser responsável pela pior Câmara nos últimos tempos”.

“Bom, tenho opinião diversa desse jornalista, que defende a administração e o clube Thermas dos Laranjais. Realmente assumi a Secretaria, sim, mas para que ele possa colocar em suas informações, nós assumimos a Secretaria e uma coisa que nós fizemos foi essa Praça do PAC, um projeto onde eu fui encabeçado e o projeto foi terminado pela primeira dama Ana Zuliani. É uma das obras que o jornalista pode constar nos seus arquivos”.

“Em relação à intervenção (na Santa Casa), ele sabe muito bem que, na época, a Santa Casa ia fechar a UTI por falta de dinheiro, e ninguém queria ser o provedor. E com a anuência do Ministério Publico eu fui nomeado interventor para resolver três coisas: não deixar fechar a UTI, relatar o que estava ocorrendo na Santa Casa, e apresentar um novo plano de trabalho para a Administração”.

“Então, o senhor não sabe, mas após 30 dias eu já havia entregado ao Ministério Publico o que tinha acontecido na Santa Casa. E graças a Deus ela vem funcionando até hoje. E através da iniciativa do vice-prefeito que eu era, obtivemos mais de R$ 1 milhão para a Santa Casa. E para que não coloque inverdades no jornal, no final do ano passado, através de um recurso do deputado federal Bruno Covas, Olímpia foi premiada com uma emenda de R$ 450 mil, emenda essa que está sendo usada na reforma da UPA, tão criticada e que foi defendida por nós”, prosseguiu.

“Então, alguma coisa eu fiz para a cidade, diferente dele, que se exalta dizendo que fez mais coisas que muitos políticos e prefeitos”, ironizou.

CARRO NA TERCEIRA FAIXA
Pimenta classificou de “imbecil”, a reportagem feita pelo jornal com destaque, sobre o carro oficial da Câmara em viagem a São Paulo. O denunciante disse que o motorista, assessor parlamentar do vereador Salata (PP), “estava dirigindo perigosamente e em alta velocidade” em direção a São Paulo.

“Imbecil foi a reportagem”, começou dizendo. “Me desculpe o ‘ser’ de Catanduva que diz que o carro da Câmara estava em alta velocidade do lado esquerdo da pista, atrapalhando a passagem dele. Os carros da Câmara são rastreados, existe aparelho de GPS, em momento algum esse carro foi utilizado por algum vereador para desvio de atividade. O vereador Salata estava em São Paulo, em uma reunião junto à CPFL, para evitar esses apagões que têm em todo Brasil. Estava em nome da Câmara sim, usando o carro. Agora vê se em algum momento o carro se desviou do trajeto ou excedeu a velocidade”.

“infelizmente, essa reportagem saiu da própria prefeitura”, acusou Pimenta. Ele se baseia no fato de que houve uma denúncia junto à TVTem, de São José do Rio Preto, que encaminhou e-mail à prefeitura, buscando detalhes ou apenas repassando a informação, uma vez que aquela emissora tem contrato de divulgação com a prefeitura, por meio da Prewiew, agência de publicidade que no ano passado faturou mais de R$ 1 milhão do município.

É por meio dela, também, que o Executivo Municipal pagaria os meios de comunicação e os jornalistas que defendem o seu governo. E, consta, até complementaria salários de funcionários de alto e baixo escalões.

“Quero deixar bem claro aqui, que não sou contra o prefeito, sou da base dele e vou defende-lo, até mesmo porque não dou ouvidos a conversa paralela. Agora, esse jornal quer causar brigas entre essa Casa e o Executivo. Isso não vai acontecer”, completou.

Comentários