Prefeitura diz que castrou 100, ONG nega castrações em 2017

Uma matéria inserida em site local dá conta de que foram castrados 100 cães e gatos até junho do ano passado; presidente da ONG Miau diz que não houve castrações

Há uma questão séria rondando o universo animal, as ONGs protetoras e a prefeitura da Estância Turística de Olímpia, mais especificamente a Daemo Ambiental. No dia 27 de junho do ano passado, o site de notícias Diário de Olímpia divulgou que a prefeitura e a Daemo Ambiental haviam retomado o serviço de castração gratuita de cães e gatos. Dizia ainda que até aquela data haviam sido atendidos cerca de 100 animais.

Porém, a presidente da ONG-Miau, Sueli Aparecida de Carvalho, disse à reportagem do Planeta News, na manhã de ontem, que nenhum cão ou gato foi castrado no ano passado. A reportagem do site ainda observa que este serviço foi supervisionado pelo vereador José Elias de Morais, o Zé das Pedras (PR).

Sueli, por sua vez, encaminha ao jornal cópia do Pregão Presencial Registro de Preços 25/2017, visando à contratação de empresa para prestação de serviços veterinários relativos à execução de procedimentos cirúrgicos de castração canina e felina em fêmeas, com encerramento em 18 de outubro, mas que, no entanto, foi revogado, segundo consta após declaração de empresa vencedora. E não se fez outro pregão.

“No governo do ex-prefeito Geninho Zuliani recebia subvenção e a entidade que presido efetuava 100 castrações por mês, sendo sessenta totalmente gratuitas e 40 com fornecimento de material ficando, ao proprietário do animal, somente uma taxa de R$ 50, totalizando 1.200 castrações por ano. Já em 2017, no começo do governo de Fernando Cunha, a subvenção foi suspensa e não foi feita nenhuma castração”, garante Sueli Carvalho.

A matéria do site, embora dê conta do trabalho de castração, fecha dizendo que “por conta do longo período de paralisação, já existe uma fila com aproximadamente 300 animais pertencentes às famílias carentes”. Esta lista deve ter dobrado então, a julgar pelas afirmações da presidente da ONG Miau. À época, a coordenadora dos trabalhos citados no site era a assessora estratégica da Daemo, Maria de Lourdes Bertin Ignácio, segundo a matéria.

A redação do Planeta News encaminhou e-mail à assessoria de imprensa da prefeitura, tratando da questão, encaminhado às 10h30 da manhã, com o seguinte teor:

“Caros colegas da imprensa, tem este a finalidade de obter junto a vossas senhorias, as informações que seguem: 1 - Foram realizadas castrações em cães e gatos no ano passado? Se não, por quê? 2 - Quantas foram feitas e em que período? 3 - Em qual local? 4 - Qual foi a verba destinada para esta operação? 5 - Este serviço é da responsabilidade de que setor da administração municipal? 6 - De que forma o município tem atendido as ONGs que lidam com estes animais na cidade? 7 - Tem um cadastro de quantas são? 8 - Elas recebem verba municipal? De quanto?

No entanto, até o momento final do fechamento desta edição, 19 horas de ontem, não houve nenhuma resposta por parte da assessoria, ou por quem de direito.

Comentários