Postos podem estar vendendo gasolina ‘C’ com preço de ‘A’

A gasolina conhecida como ‘formulada’ é naturalmente mais barata que a de melhor qualidade, mas tem postos vendendo sem informar a diferença

Você, motorista, já passou por algum posto de combustível da cidade ou mesmo de outras cidades e viu lá, afixada, uma faixa com os dizeres: “Não vendemos gasolina formulada”? Se não, cuidado. Você pode estar comprando gato por lebre. Ou um combustível qualidade “C” a preço de combustível tipo “A”. Mas você sabe o que é combustível formulado?

Combustível formulado não é sinônimo de batizado ou adulterado. Trata-se de um produto feito a partir de sobras de combustível comum, que depois são misturadas a produtos químicos para aumentar seu rendimento. A qualidade é inferior à gasolina comum, mas sua venda é autorizada pela ANP. Apesar de a gasolina formulada ser a mais conhecida, etanol e diesel também podem passar pelo mesmo processo de fabricação.

O problema é que o produto formulado é mais fácil de ser adulterado, já que é feito a partir da mistura de diversos elementos (como em uma fórmula, como o próprio nome diz). Outro ponto negativo é que, por utilizar substâncias mais leves, ele também rende menos. Mas o combustível formulado só fará mal ao seu carro se o fabricante usar mais produtos leves do que o recomendado. Daí a importância da fiscalização da ANP, que é a responsável por garantir que o combustível que você coloca no seu carro seja de boa qualidade.

Para se proteger, o consumidor precisa analisar o estado e as condições do posto e abastecer somente em locais de confiança. O proprietário do Auto Posto Puttini, empresário Humberto José Puttini, esclarece que mesmo sendo permitida a comercialização da gasolina formulada pela ANP e este produto ser mais barato, optou em não vender em seu posto, pois o composto é feito pela combinação de cerca de 200 solventes e apenas “se aproxima” da composição molecular da gasolina comum, derivada do petróleo, além de render 15% menos.

Além disso, a “formulada” pode causar danos aos veículos, como entupimento de bicos e o uso prolongado pode levar a problemas mais graves, e mais caros. “Não acho correto vender um produto de qualidade ‘C’ pelo mesmo preço de outro de Qualidade ‘A’. Os postos que optarem em vender este tipo de produto deveriam ser obrigados por lei a colocar uma placa informando qual tipo de produto está comercializando, para o consumidor não ser enganado”, disse ele.

Comentários